Com Lula ignorado, PT agora quer Haddad em debate

  • Por Jovem Pan
  • 10/08/2018 14h32
FELIPE RAU/ESTADÃO CONTEÚDOA senadora e presidente do PT, Gleisi Hoffmann durante a convenção nacional do partido para oficializar o nome de Luiz Inácio Lula da Silva como candidato à Presidência no último dia 4

O debate entre os candidatos à Presidência realizado pela Band na noite de segunda-feira terminou exatamente como o PT temia: os postulantes ao Palácio do Planalto evitaram sequer citar o nome do ex-presidente Lula — a exceção foi Guilherme Boulos, do Psol. Paralelamente, o partido até tentou promover uma transmissão online com Fernando Haddad, o vice que será rebatizado candidato em breve, mas a ação não teve alcance fora do eleitorado já consolidado da sigla.

O choque de realidade foi imediato. Nesta sexta, a presidente do partido, Gleisi Hoffmann, defendeu que Fernando Haddad participe dos próximos debates. Como a afirmação foi feita pela petista logo após um encontro com Lula na prisão da sede da Polícia Federal em Curitiba, é possível afirmar que a ordem tenha sido dada pelo próprio líder máximo petista.

Haddad foi registrado como candidato a vice na chapa petista, mas só deve assumir a disputa à Presidência quando a Justiça Eleitoral impugnar candidatura de Lula, inelegível de acordo com a Lei da Ficha Limpa.

Apesar da mudança brusca de discurso, não é novidade que o próprio partido vem dando sinais de que tem um plano B ao discurso pró-Lula. O partido já apresentou, por exemplo, Manuela D’Ávila (PCdoB) como nome não oficial de vice na chapa presidencial para quando a situação eleitoral de Lula for definida pelo TSE. “Durante a campanha, o nosso candidato a vice-presidente é o porta-voz do presidente, é a sua voz com a sociedade. (Haddad) vai andar o Brasil, vai fazer os debates, vai participar das sabatinas, vai ser a voz de Lula, do nosso programa”, disse Gleisi nesta sexta. “Daqui para frente nós vamos atuar na campanha para valer”, afirmou a presidente da sigla.

“Vamos tomar todas as medidas para a participação de Lula (nos debates) e, se não conseguirmos, para a participação de Haddad”, assumiu Gleisi. “Nós não queremos e não podemos até ficar fora dos debates em respeito ao povo brasileiro”, disse a senadora.

Gleisi disse também que Lula não gostou do debate realizado pela Band. “Ele assistiu umas partes só, achou que foi um debate com muita ausência de proposta”, disse. Por fim, a presidente do PT classificou como “uma violência não deixar o candidato com a maior popularidade estar no debate ou ser representado”.

Veja a entrevista completa de Gleisi e Haddad:

Fernando Haddad, Gleisi Hoffmann e Emidio de Souza relatam visita a Lula

Publicado por Lula em Sexta, 10 de agosto de 2018

Acompanhe a cobertura completa das eleições 2018!