‘Se algo acontecer a Haddad ou Lindbergh, responsabilidade é de Bolsonaro’, diz Gleisi

  • Por Jovem Pan
  • 23/10/2018 11h31
Reprodução/FacebookGleisi Hoffmann realiza live no Facebook com Lindbergh Farias, líder da bancada do PT no Senado; e Paulo Pimenta, líder da bancada do PT na Câmara

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, afirmou nesta segunda-feira (22) que o discurso do candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, sobre banir os “marginais vermelhos” é um estímulo à violência nesta eleição.

Em live publicada no Facebook, Gleisi comparou ainda o discurso de Jair Bolsonaro ao de Hitler na Alemanha. Ela destacou que o partido responsabilizará judicialmente o candidato por eventuais casos de agressão a eleitores, inclusive movendo ações no STF.

“Nós estamos entrando com uma ação de responsabilização do candidato Jair Bolsonaro. Se algo acontecer a Fernando Haddad e Lindbergh Farias a responsabilidade é dele, objetiva. E vai ter responsabilidade solidária nos casos que acontecerem com outros militantes nossos ou com pessoas que eles consideram fora da normalidade”, disse na transmissão.

A fala da senadora é reação à mensagem de Bolsonaro veiculada no domingo (21) em manifestação na Avenida Paulista, em São Paulo.

“Não tem preço as imagens que vejo agora da Paulista e de todo o meu querido Brasil. Perderam ontem, perderam em 2016 e vão perder a semana que vem de novo. Só que a faxina agora será muito mais ampla. Essa turma, se quiser ficar aqui, vai ter que se colocar sob a lei de todos nós. Ou vão para fora ou vão para a cadeia. Esses marginais vermelhos serão banidos de nossa pátria”, disse em vídeo.

O discurso durou cerca de dez minutos e Bolsonaro citou Fernando Haddad, seu adversário na disputa pelo Palácio do Planalto, e o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) que, inclusive, aparece ao lado de Gleisi no vídeo publicado nesta segunda.

Bolsonaro disse que os dois petistas fariam companhia ao ex-presidente Lula, preso em Curitiba. “Aqui não terá mais lugar para a corrupção. E seu Lula da Silva, se você estava esperando o Haddad ser presidente para soltar o decreto de indulto, eu vou te dizer uma coisa: você vai apodrecer na cadeia. E brevemente você terá Lindbergh Farias para jogar dominó no xadrez. Aguarde, o Haddad vai chegar aí também. Mas não será para visitá-lo, não, será para ficar alguns anos ao teu lado”, disse na videoconferência de domingo.

Reação da internet

Nesta terça-feira (23), o Twitter tinha mais de 184 mil mensagens sobre o assunto e chegou a ser o assunto mais comentado com a hashtag #AtentadoFakeDoPT.

Entre as mensagens, muitos apoiadores de Bolsonaro insinuando que o Partido dos Trabalhadores forjaria um atentado contra Haddad e Lindbergh para culpabilizar Bolsonaro.

A hashtag foi iniciada pelo cantor Lobão, segundo usuários do Twitter.

Confira alguns tuítes: