Temer manda Haddad ‘ler a constituição’ em novo vídeo no Twitter

  • Por Jovem Pan
  • 06/09/2018 16h12 - Atualizado em 06/09/2018 16h41
EFE/Joédson Alves"É que hoje ninguém quer cumprir a constituição", disse

O presidente Michel Temer publicou um terceiro vídeo em seu Twitter nesta quinta-feira (6) para rebater críticas do candidato a vice-presidente na chapa do PT, Fernando Haddad. Os dois outros haviam sido destinados a Geraldo Alckmin (PSDB).

O presidente recomendou a Haddad e aos seus “companheiros” que leiam a constituição toda vez que o chamarem de “golpista”, lembrando o impeachment de Dilma Rousseff.

“Quando um presidente é impedido, o vice-presidente, constitucionalmente, assume. É que hoje ninguém quer cumprir a constituição, ninguém quer cumprir lei. As pessoas querem fazer aquilo que você está fazendo, ou seja, inventar coisas da própria cabeça”, disse.

Ele também rebateu as críticas do petista contra as reformas trabalhistas, que “tirariam direitos dos trabalhadores”. “A reforma recupera a modernidade do nosso país. Leia o artigo sétimo da constituição federal. Ao fazer a reforma trabalhista, estamos gerando, em pouquíssimo tempo oportunidades de emprego”.

Por fim, encerrou com tom provocativo e ameaçador. “Você que pode ser candidato a vice-presidente ou a presidente da república, não sei bem como serão as coisas (…). Toma cuidado, Haddad. Tenha cuidado”.

Geraldo Alckmin

Na noite quarta, o presidente publicou um primeiro vídeo endereçado ao candidato à presidência pelo PSDB, Geraldo Alckmin, “pelas falsidades que tem colocado em seu programa eleitoral”.

Temer citou os ministérios da educação, saúde, da indústria e comércio e do trabalho, que foram duramente criticados pelo tucano. “Essa minha base governamental, será a sua base governamental se for eleito presidente”.

Horas mais tarde, Temer postou outro vídeo reiterando o seu compromisso com “falas verdadeiras” e pedindo que Alckmin “parasse de mentir” ao falar que o PSDB não apoiou o governo do atual presidente. “Não faça como aqueles que falseiam e mentem para conseguir votos influenciados pelo marqueteiro”.

O presidente citou ainda José Serra, Bruno Araújo e Imbassahy, ministros durante seu governo, todos do PSDB, para comprovar o apoio do partido. “Seja realista e conte exatamente a verdade”, encerrou.