Candidata a deputada, filha de Cunha recebe R$ 2,7 mil de Eduardo Paes

  • Por Nicole Fusco
  • 02/10/2018 18h14 - Atualizado em 02/10/2018 18h18
DivulgaçãoA publicitária e candidata a deputada federal Danielle Cunha (MDB-RJ) e o pai, o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha

Preso desde outubro de 2016 em Curitiba, o ex-deputado federal Eduardo Cunha (MDB-RJ) continua interferindo fortemente no rumo das campanhas eleitorais. Um bom exemplo é o financiamento da candidatura da publicitária Daniella Cunha (MDB) a uma vaga na Câmara, que foi presidida pelo pai entre 2015 e 2016.

Ela recebeu R$ 2.700,00 do candidato a governador do Rio de Janeiro Eduardo Paes. Atualmente, ele concorre ao cargo pelo DEM, partido no qual ingressou depois de dez anos no MDB. Filiado à sigla, Paes se elegeu prefeito da capital fluminense em 2008 e 2012, mas a abandonou tão logo a cúpula emedebista foi mandada para Bangu.

Cunha e Paes têm uma relação próxima. Em 2013, o ex-prefeito apoiou o deputado federal para que se tornasse líder do partido na Câmara. Dois anos depois, ele foi escolhido para presidir a Casa.

Naquele mesmo ano, Cunha afirmou que Paes era seu candidato favorito para a presidência da República nas eleições de 2018. A resposta foi uma forma de desconversar a possibilidade de ele mesmo ser o candidato. “Trocaram o sobrenome”, afirmou na época.

Além disso, Eduardo Paes foi chamado para depôr à Operação Lava Jato na condição de testemunha de Cunha e sempre negou irregularidades tanto de sua parte quanto de Cunha. Em julho do ano passado, o ex-prefeito afirmou, em depoimento, que a relação com o ex-deputado federal é de “absoluta correção”.

Embora não tenha mais forças exibidas em liberdade, Cunha continua influente. Seu grande trunfo é o acervo de revelações perigosas que ele mantém em segredo, enquanto examina a possibilidade de fazer uma delação premiada.