África do Sul: um país para todos conhecerem; entenda o porquê

  • Por Jovem Pan
  • 24/04/2015 16h33
Esse bondinho leva os turistas até o Table Mountain

Ao longo dos anos, o Continente Africano foi território de guerras tribais e étnicas, mas a principal e uma das piores delas foi o regime do Apartheid. A segregação de negros e brancos deu origem a diversos conflitos que só foram minimizados com o fim do regime e a ascensão do líder Nelson Mandela. A África do Sul, por exemplo, é um país com uma mistura ética tão grande que possui 11 línguas oficiais, sem contar os dialetos locais.

Como a moeda local, Rand, favorece bastante o Real, a África do Sul acaba sendo a escolha de muitos estudantes que querem aprender inglês ou apenas turistar pela região. É o caso da Sophia Menezes Gonçalves, de 22 anos, que morou no país durante 6 meses, em 2009, e recentemente voltou para passar férias. Em conversa com a rádio Jovem Pan, ela contou que mesmo com o fim do regime segregacionista, em 1994, na mentalidade do sul-africanos ainda existem diferenças por causa da cor da pele.

“É percepctível conversando com as pessoas. Eu tinha amigos brancos que guardavam a bandeira do Aparthaid em casa, lógico que eles não falavam isso publicamente, mas quando você criava algum tipo de intimidade eles falavam”, disse.

Ela, que ficou em Cape Town, Cidade do Cabo, em português, também encontrou um ambiente de paz e revela: subir na Table Mountain é um dos melhores passeios proporcionados pelo local.

“De qualquer lugar de Cape Town você consegue enxergar a Table Mountain. Ela parece uma mesa enorme e linda e lé em cima você consegue ter uma visão de toda a cidade, que é maravilhosa”.

Para os turistas, que vão à caça de lugares exóticos e passeios diferenciados, o melhor lugar para conhecer é o safari  Kruger National Park. Lá, é possível ver os cinco mamíferos  selvagems de grande porte mais difíceis de serem caçados pelo homem, como o leão, elefante, búfalo africano, leopardo e o rinoceronte, além, claro, da exuberante fauna.

Fora essa aventura dos bichanos, a África do Sul oferece mais de 130 tipos de atividades, que vão desde o montanhismo até o mergulho em gaioloa com tubarões. Sem contar que o país tem um dos maiores bungee-jumpsdo mundo, que chega a 216 metros de altura.

Com uma vida noturna agitada, cheia de bares, baladas, boates e clubes, Sophia alerta que é alto o índice de casos de violência no país, portanto, toda atenção é necessária na hora de sair. O ideal é que quando se viaja pela primeira vez se tenha, sempre, um guia por perto.

“A segurança é complicada lá em diversos aspectos. Desde coisas mais simples, como assaltos, até estupros. Lá tem que ficar muito atento, principalmente se você é mulher. Eu sofri assédios, tive vários aparelhos e celulares roubados e cartões clonados”, finaliza.

Vale lembrar, que para conhecer o lugar como turista não é necessário tirar o visto. Porém, se for ficar mais de 90 dias na África do Sul é preciso se informar no Consulado. Para mais informações, ouça o áudio completo da reportagem.