Beto Estrada esclarece se 2019 foi ano dos podcasts no Brasil

  • Por Alexandre Lago
  • 06/12/2019 14h52 - Atualizado em 09/12/2019 15h00
Corujão

Na última quinta-feira, 05 de dezembro, o Corujão na Pan recebeu Beto Estrada, o consagrado host do Matando Robôs Gigantes. O Corujão contou com uma dinâmica um pouco diferente, levando em consideração que o tema especial da atração foi: retrospectiva 2019.

Ao ser perguntado por Hads se esse ano pode ser considerado o ‘boom’ dos podcasts no Brasil, Beto foi taxativo e explicou as razões do porque acredita que o mercado está começando a ficar inflacionado de opções.

“Beleza, popularizou muito. Mas, em função de grana, a gente já ganhava com isso. Eram poucos que ganhavam grana. Agora, a oportunidade é de que mais gente vai ganhar dinheiro e isso também vai inflacionar o mercado de opções – o que é muito bom. Na sequência, Beto apontou que o cenário também deve se segmentar mais. “Você não vai ter mais números como a MRG e o Jovem Nerd, podcasts que batem mais de 1 milhão de downloads por episódio. A oferta é muito grande, nichou pra caramba, e isso é ótimo. Até porque os números permanecem”. 

Quando perguntado se esse é o momento para investir no segmento, Beto não hesitou. “Sempre achei que era bom começar. Estamos vivendo a bolha e a bolha vai estourar. Assim como aconteceu com o meio de influenciadores, surgiram métricas a resultados que transformaram o mercado. Se você tá curtindo, tem que fazer e trabalhar por isso, mas é um bom ano sim”. 

Em outro momento do programa, Beto foi perguntado sobre o que acha dos heróis de quadrinhos quando retratados no cinema. ‘É legal, mas é de criança’. 

Ainda sobrou tempo para Pelota questionar Hads, de forma descontraída, sobre suas impressões da interpretação do Coringa de Jared Leto nos cinemas. O convidado da atração complementou, “não é que ruim, é legal. Mas, dentre todos, é o pior”.

Aproveitando o gancho, os participantes da atração seguiram conversando sobre o futuro do universo cinematográfico.