Com urubu, rato e vampiro gigante, Águia de Ouro protesta contra a corrupção no carnaval de SP

  • Por Jovem Pan
  • 03/03/2019 00h30 - Atualizado em 03/03/2019 01h02
MARIVALDO OLIVEIRA - ESTADÃO CONTEÚDOEscola fez desfile de qualidade e levantou o público no Anhembi

Com o tema “Brasil, eu quero falar de você! Que país é esse!”, a tradicional escola de samba do bairro da Pomeira trocou sua tradicional Águia de Ouro por um urubu, em carro alegórico, para representar o centro do enredo: a corrupção.

Além do urubu, um vampiro que suga direitos e dinheiro do povo, além de ratos, também puderam ser vistos no desfile. O samba-enredo – que foi assinado por 11 compositores -, inclusive, teve referências à Operação Lava Jato.

A agremiação desfilou com 26 alas e 2,3 mil componentes. Com uma bateria de qualidade tradicional, a Águia fez diversas paradinhas para que os presentes pudessem cantar que a “Liberdade é uma quimera / Viver livre quem me dera”.

A agremiação passou por diversos momentos da história brasileira – desde a chegada dos portugueses, que exploraram as riquezas brasileiras e afetaram a vida os índios, até a exploração social representada na ala mirim, com crianças vestindo roupas em farrapos.

Ouça o samba-enredo:

Confira a letra do samba-enredo:

Mãe, por que não te fizeste mais gentil?
Mãe! Por eles batizada de Brasil
Pra onde foi o teu olhar
Quando do mar se aproximou
A caravela da ganância
A ambição do invasor
O teu herdeiro então chorou
Derramou seu sangue em vão
E nos tornamos os escravos do próprio chão

Ontem preso na senzala, maldade e dor
O negro suplicava: – ó meu senhor!
Hoje amargo preconceito,
Liberdade é uma quimera
Viver livre quem me dera!

Vejam só que ironia
Da colônia a monarquia por aqui nada mudou
“Imperava” uma história mal contada
Logo após “republicada” pelas mãos do ditador
Em “planos” um país descolorido
Saqueado e dividido
O poder de quem tem mais
A farra das elites sociais
E o povo na rua, revestido de coragem
“Lava a alma” de esperança pra acabar com a sacanagem

Meu Deus escute a Águia cantar
Oh Pai lhe peço: Olhai por nós!
Somos filhos dessa pátria
Que não cuida do que é seu
E não ouve a nossa voz