“É simples e engraçada, apropriada para o horário”, diz Ary Fontoura sobre “Êta Mundo Bom”

  • Por Jovem Pan
  • 21/01/2016 11h29

Quinzinho e Eponina se encantam com o pequeno Candinho no primeiro capítulo

“É simples e engraçada

No ar em “Êta Mundo Bom”, que estreou nesta semana, Ary Fontoura dá vida à Quinzinho, o bonzinho marido de Cunegundes, interpretado por Elizabeth Savalla, que não ousa levantar a voz para a esposa e garante boas risadas com as confusões que cria para tentar administrar a fazenda da família.

“O nosso núcleo é de uma família diferente, beira a ‘Família Buscapé’, com seus sotaques e maneiras de viver. São bem importantes na trama, principalmente quando eles passam por problemas de dinheiro, os desencontros criam os conflitos”, adiantou o ator, em entrevista ao Morning Show nesta quinta-feira (21).

Ambientada no final dos anos 40 e apostando no humor caipira a trama tem agradado à crítica e caiu no gosto do público, rendendo bons índices de audiência.

“É simples, engraçada e com lances dramáticos, bem apropriada para o horário das 18hs. Nós estamos vivendo momentos perturbados neste país, a política de repente ficou muito confusa, há uma crise evidente, uma necessidade extrema de mudar o país, neste vai e vem de cotidiano intenso, os espectadores não tem como respirar e de repente aparece na grade da Globo uma novela que quer fazer o espectador se divertir”, justificou.

Escrita por Walcyr Carrasco, o ator foi só elogios à mensagem otimista trazida pelo enredo da novela e credita o grande sucesso ao talento do autor.

“As obras dele têm o objetivo de conduzir o espectador a sonhar, é um autor muito importante, que acredita que o sonho é possível, isso anima as pessoas e é primordial nos dias de hoje”, completou.