“Ele estaria protestando”, aposta mãe de Cazuza

  • Por Jovem Pan
  • 07/07/2015 10h36
RIO DE JANEIRO, RJ, BRASIL, 10-05-2011: Lucinha Araújo, mãe do cantor e compositor Cazuza, posa para foto na sede da Sociedade Viva Cazuza, no bairro de Laranjeiras, no Rio de Janeiro (RJ). Lucinha que está à frente da entidade lança livro "O Tempo não Para - Viva Cazuza", em que narra episódios da ONG. (Foto: Rafael Andrade/Folhapress, 1578, ILUSTRADA) ***ESPECIAL***Lucinha Araújo

Lucinha Araújo, mãe de Cazuza, relembrou no Morning Show desta terça-feira (07) que o filho estaria descontente com a atual situação política do país. “Ele estaria protestando, continuaria protestando. Estaria muito triste porque viria que o Brasil não mostrou a cara até hoje. Acho que a gente nunca esteve tão ruim”, falou.

O artista, que ficou famoso como vocalista da banda Barão Vermelho e depois partiu para carreira solo, faleceu há 25 anos em complicação a Aids. “Eu não sei dizer se passou rápido ou devagar, mas passou. Agora eu vejo 25 anos depois uma senhora já. Meu filho que estava no auge da beleza e juventude não está mais aqui”, lamentou Lucinha.

Cazuza, apelido de Agenor Araújo Neto, tinha 32 anos quando faleceu. O rockstar – e compositor de diversos hinos da MPB – deixou diversos legados musicais, inspirou o roteiro do filme “Bete Balanço”, estrelado por Debora Bloch, e ganhou uma cinebiografia com Daniel de Oliveira em “Cazuza – O Tempo Não Para”.

Sobre a associação Viva Cazuza, entidade que oferece ajuda para soropositivos, a mãe do artista contou que “vai bem, obrigada”.  “A gente nunca esteve tão bem. Nosso problema sempre foi financeiro, agora a prefeitura do Rio está ajudando e os direitos autorias do Cazuza também ajudam”, relatou.

Lucinha atualmente se empenha em um livro sobre João Araújo, pai de Cazuza e falecido no fim de 2013. “João foi um grande homem da indústria fonográfica e teve um filho famoso, não tem ninguém igual a eles”, finalizou.