Em entrevista, Cara Delevingne afirma que quase cometeu suicídio

  • Por Jovem Pan
  • 19/06/2015 18h00
Cara Delevingne está se afastando do mercado para focar na carreira de atriz

A modelo Cara Delevingne, capa da revista Vogue americana deste mês, além de ter afirmado para a publicação que é homossexual e que está apaixonada pela namorada, a cantora St. Vincent, também revelou que durante sua adolescência sofreu de depressão e que chegou a pensar em suicídio.

“Quando eu tinha 15 anos fui atingida por uma grande onda de depressão e ansiedade e auto-ódio. Os sentimentos eram tão dolorosos que eu bateria minha cabeça contra uma árvore para tentar me tirar disso. Eu nunca me cortei, mas me arranhava a ponto de sangrar. Eu só queria desmaterializar e ter alguém pra me fazer desaparecer“, disse ela, admitindo que chegou a tomar remédios fortíssimos.

“Era tipo, se nada é bom por muito tempo, eu prefiro destruir isso. Eu estava fazendo as malas e, de repente, eu só queria acabar com aquilo. Eu tinha uma solução, e estava bem na minha frente“, desabafou. O que impediu Cara de ir além foi uma música que tocou no funeral de um amigo: “Foi como se fosse um aviso dele pra mim, e isso me deixou furiosa comigo mesma.“

Ao mesmo tempo que sair (sozinha) na capa da Vogue consagra sua carreira no mundo da moda, também marca sua “saída”, pois a jovem está se afastando do mercado para se dedicar a carreira de atriz.

“Meus agentes me falavam o que era para fazer e foi isso que eu fiz. Quando eu estava em apuros eles me cortaram fora. Eu era uma máquina que estava fora do controle. Era nojento a maneira que eu me sentia por dentro e isso foi transbordando em minha pele. Alguém deveria ter me parado”, revelou.