Em lançamento de CD, Seu Jorge explica o porquê de não tocar em favelas

  • Por Jovem Pan
  • 01/04/2015 20h59
Reprodução/Instagram Apesar de parecer esnobe

De visual novo, com os cabelos raspados e sem o cavanhaque, seu Jorge, que mora no exterior há três anos, está no Brasil para lançar seu novo trabalho,”Músicas para churrasco Vol. 2”. Em entrevista ao jornal Extra Online, ele explicou que, morando nos Estados Unidos, consegue cuidar melhor da família e dar uma boa educação para as filhas, Luz Bella e Flor de Maria, fruto do seu relacionamento com Mariana Jorge, com quem vive atualmente. 

Durante o bate-papo, o cantor fez questão de explicar o porquê de não tocar em favelas. Ele, que teve uma vida dura morando em uma comunidade em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, afirma que nunca mais voltou ao lugar. E não por ser esnobe, mas por não querer ficar lembrando das suas origens o tempo todo. 

“Não toco em favela. Custei muito a sair de lá. De levar porrada de policial, de viver num lugar com esgoto a céu aberto. As pessoas podem ser felizes lá por causa das relações que criam, da família. Mas não é bom morar em favela. Não toco porque não quero dar tapinha nas costas de traficante e miliciano. Trabalhei muito pra chegar onde estou e não quero ver aquilo de novo”, contou ele, que nunca foi convidaddo para tocar em comunidade com Unidade de Polícia Pacificadora, UPP, onde gostaria de se apresentar.