Emicida e Rael encerram Lollapalooza com tributo a Taylor Hawkins e sucessos do rap nacional

Após a homenagem, Mano Brown, Ice Blue, Criolo, Djonga, KL Jay, DJ Nyack, Bivolt, Drik Barbosa e Planet Hemp fizeram participações

  • Por Victoria Bechara
  • 27/03/2022 23h21 - Atualizado em 28/03/2022 14h52
Divulgação/Lollapalooza Emicida gesticula e segura o microfone com a mão esquerda enquanto canta no palco do Lollapalooza O cantor Emicida encerrou a edição 2022 do festival Lollapalooza

Emicida e Rael voltaram ao palco do Lollapalooza neste domingo, 27, para uma homenagem ao baterista do Foo Fighters, Taylor Hawkins. O músico foi encontrado morto em Bogotá na última sexta-feira. As causas da morte ainda são investigadas. O tributo começou com vídeos de apresentações da banda transmitidos no telão, além de uma gravação de Hawkins cantando “Bohemian Rapsody” com Perry Farrell, criador do Lollapalooza.
Depois, Rael e a guitarrista Michele Cordeiro cantaram a música “My Hero”, lançada pelo Foo Fighters em 1997.

Após o tributo, Emicida chamou Criolo ao palco para cantar “Não existe amor em SP” e “Convoque seu Buda”. Bivolt, Drik Barbosa e Djonga também fizeram participações. DJ Nyack e KL Jay comandaram o som. Além disso, o show ainda contou com a presença de Mano Brown e Ice Blue, do Racionais, que cantaram “Da Ponte Pra Cá” e “Mil Faces de Um Homem Leal”. O grupo Planet Hemp também participou do show e anunciou que lançará um novo álbum neste ano. Ao final, Marcelo D2 se manifestou contra o presidente Jair Bolsonaro e pediu que os fãs votem nas eleições. Entre uma música e outra, a palavra “Vote” também aparecia no telão.