Carlinhos Maia nega ter incitado suicídio: ‘Mais uma grande injustiça’

Humorista afirma que vídeo foi editado e postado fora de contexto

  • Por Jovem Pan
  • 02/09/2019 13h15
Reprodução/InstagramHumorista se defendeu de críticas nesta segunda-feira (2)

Carlinhos Maia respondeu nesta segunda-feira (2) as críticas sobre um vídeo em que supostamente incitava o suicídio de adolescentes. O humorista negou que tenha incentivado qualquer ato de violência no vídeo compartilhado nas redes sociais no último domingo (1º).

Segundo ele, a filmagem foi editada e tirada fora de contexto. Para provar isso, Maia publicou uma série de vídeos em seu Instagram que seriam os originais.

“Não tem nada a ver com depressão. O assunto não era esse, era sobre gente que quer desistir na primeira pancada e cobiça o que é do outro, essa era minha reflexão. Mas cortaram um pedaço [do vídeo] que parecia que eu estava dizendo para um garoto que mandou mensagem pra mim [dizendo] ‘eu quero me matar’, enquanto eu estava falando do todo, quando as pessoas mal começam a vida e levam um tombo, não sobre quem tem distúrbios psicológicos”, disse hoje o humorista.

“Em nenhum momento falei sobre distúrbios psicológicos. Graças a Deus que eu tenho pessoas que salvaram essa reflexão e me mandaram na íntegra para mostrar que em momento algum eu falei sobre depressão, que não incitei ninguém a nada. Eu sou uma das pessoas que mais recebe vídeo falando que se curou da depressão [por minha causa]”, completou, antes de divulgar os vídeos originais, salvado na íntegra por seus fãs.

Carlinhos Maia ainda completou que, mesmo após a divulgação da filmagem completa, ainda receberia críticas.

“Vão continuar porque incomoda, eu incomodo. Mas nunca estive tão leve na minha vida com a certeza de que essa é mais uma grande injustiça.”

Polêmica

No domingo, Carlinhos Maia causou polêmica nas redes sociais ao publicar um vídeo em que disparava contra adolescentes que mandam mensagens para ele afirmando que pensam em tirar a própria vida.

“Você achava mesmo que ia ser fácil?”, questionou Maia. “Eu vejo meninos aqui com 16 anos me mandando ‘Eu quero me matar’. Vai, ô, imbecil. Vai se matar porque você nem começou a vida ainda”, rebateu.

Ele ainda comparou: “Venha perguntar para uma mulher de 75 anos que até hoje trabalha, que até hoje sustenta os netos, venha perguntar se ela se matou com 16 anos? Eu não sei os seus motivos, mas eu sei os dela”.