Emma Watson, Kate Winslet e diversas atrizes fazem carta contra assédio

  • Por Jovem Pan
  • 18/02/2018 15h03

Emma Watson anunciou no próprio Facebook o papel principal na nova versão da animação da Disney.

A atriz de "Harry Potter" e outras 189 assinaram a carta antes do Bafta

O Bafta, conhecido como o Oscar do Reino Unido, acontece neste domingo (18) e um grupo de 190 atrizes enviou uma carta aberta para o jornal “The Observer” como parte do movimento “Time’s Up”, cobrando o fim da desigualdade salarial entre os sexos e também contra os assédios sexuais na indústria.

Nomes como Emma Watson, Keira Knightley, Carey Mulligan, Kate Winslet, Emma Thompson, Naomie Harris e Claire Foy assinaram a carta, incluindo muitas outras representantes do cinema britânico.

O jornal The Guardian publicou alguns trechos do manifesto em seu site:

“Estamos pressionando por mudanças na nossa indústria, e agradecemos o fato de que a indústria do Reino Unido se uniu para desenvolver princípios e regras que barram táticas de abuso no local de trabalho para todos. Nós estamos percebendo apenas agora a magnitude do abuso sistemático, desigualdade e abuso sexual baseado em gêneros e poder – que prejudica todas nós. Hoje nós nos unimos com tolerância zero para este abuso”.

“Em um passado muito próximo, nós vivemos em um mundo onde abuso sexual era uma piada desconfortável. Uma parte ruim e inevitável de ser uma garota ou uma mulher. Era certamente algo que não era para ser discutido, muito menos endereçado. Em 2018, nós acordamos para uma onda de mudanças. Se nós realmente abraçarmos este momento, uma linha será traçada e será definitiva.”

“Aqui no Reino Unido, o movimento está em uma conjuntura crítica. A desigualdade salarial de gêneros para mulheres aos 20 anos está cinco vezes maior do que era seis anos atrás. Pesquisas no Reino Unido revelaram que mais da metade das mulheres já passou por abuso sexual no trabalho”.

Na cerimônia desta noite, as atrizes devem repetir o que foi feito no Globo de Ouro, em que praticamente todas as atrizes utilizaram vestidos pretos em forma de protesto.