Hiperêmese gravídica: entenda a condição que afeta Kate Middleton

  • Por Júlia Paolieri/ Jovem Pan
  • 06/09/2017 12h02
Kate Middleton carrega Charlotte, seu 2º bebê com príncipe William

Essa semana, a notícia da 3ª gravidez de Kate Middleton movimentou as redes sociais. Ao mesmo tempo, outro detalhe chamou a atenção: o Palácio de Buckingham informou que a duquesa de Cambridge está sofrendo de hiperêmese gravídica, uma condição que ela enfrentou nas suas duas gestações anteriores – de George, de 4 anos, e Charlotte, de 2.

Kate acabou tendo que cancelar diversos compromissos oficiais, uma vez que a hiperêmese gravídica é responsável por causar um quadro de náuseas e vômitos intenso e incomum.

Em entrevista para a  Jovem Pan Online, a Dra. Adriana Macedo, ginecologista do Hospital Geral de Pirajussara, explicou que a condição que afeta a duquesa de Cambridge em sua 3ª gravidez é preocupante por conta da perda de nutrientes e de peso que a gestante sofre nas primeiras semanas. No entanto, há um alento: a condição tende a melhorar conforme a gestação avança.

Entenda mais sobre a hiperêmese gravídica:

O que é?

A hiperêmese gravídica é um quadro mais grave das náuseas que afetam 70% das gestantes no início da gravidez. A doença provoca vômitos frequentes, causando alteração metabólica, nutricional, desidratação, e, eventualmente, internação da gestante para estabilizar a perda de nutrientes.

A hiperêmese gravídica afeta a gestante por quanto tempo?

A hiperêmese gravídica começa por volta das 6 semanas de gravidez e, na maioria das vezes, o quadro melhora por volta das 20 semanas de gestação. Raramente ele se estende por todos os 9 meses.

Há algum risco para a mãe e o bebê?

A hiperêmese gravídica não piora o prognóstico fetal, ou seja, o indicador que avalia o desenvolvimento do feto. Para a mãe, em casos raros em que a condição não é tratada propriamente, a gestante pode ter um quadro muito grave de saúde, podendo ser fatal.

Há tratamento?

Conforme a Dra. Adriana explicou, o uso de antieméticos (remédios que aliviam as náuseas e enjoos) são recomendados desde o início para evitar que o quadro de hiperêmese gravídica se torne grave. Para controlar os enjoos, é recomendado se alimentar de menores porções de alimentos mais vezes ao dia e evitar ficar longos períodos de estômago vazio; líquidos gelados e ácidos, como suco de limão, também podem aliviar os sintomas.

A hiperêmese pode acontecer em mais de uma gestação?

Sim. Apesar de tratável, a doença pode voltar em gestações futuras, mas não há regra. Há gestantes que sofreram de hiperêmese gravídica que não tiveram a condição em outras gestações.