Kevin Spacey é criticado por “minimizar” assédio ao se assumir gay

  • Por Jovem Pan
  • 30/10/2017 11h54 - Atualizado em 30/10/2017 11h56
ReproduçãoKevin Spacey foi acusado de assédio sexual pelo ator Anthony Rapp; caso teria acontecido em 1986

Kevin Spacey foi acusado de assédio sexual pelo ator Anthony Rapp e, na noite de domingo (29), usou as redes sociais para se desculpar pelo caso. No mesmo comunicado, o astro de “House of Cards” ainda se assumiu homossexual, mas a forma com que o ator fez a revelação não foi bem vista dentro de Hollywood.

Jornalistas, atores e comediantes se revoltaram com a forma como Spacey “usou” o pedido de desculpas para se assumir homossexual e, assim, diminuir as alegações de assédio e pedofilia contra ele – uma vez que Rapp tinha 14 anos quando o assédio aconteceu.

Jordan Gavaris, da série “Orphan Black” foi um dos que criticou a atitude do ator. “Assédio sexual não é sobre sexualidade. Assédio sexual é sobre poder”, escreveu no Twitter.

“Não, não, não! Você não pode ‘escolher’ se esconder embaixo do arco-íris”, disparou a comediante Wanda Skyes, que estrelou “A Sogra” com Jane Fonda. “Kevin Spacey acabou de inventar o que nunca existiu: uma péssima hora para se assumir […] é repulsivo, irresponsável e perigoso”, declarou o produtor Billy Eichner.

Entre as grandes publicações americanas, Kevin Spacey foi comparado com Kevin Weinstein, produtor acusado de assédio sexual por mais de 50 mulheres. “Kevin Weinstein: ‘eu vou combater a Associação Nacional de Rifles’; Kevin Spacey: ‘eu sou gay’. Mesma história, diferentes distrações”, escreveu Yashar Ali da New York Magazine.

 


Entenda o caso

Em entrevista ao BuzzFeed News, Anthony Rapp – astro da nova série “Star Trek: Discovery” – revelou que Kevin Spacey o assediou uma vez durante uma festa em 1986. Na época, Rapp tinha 14 anos de idade e Spacey, 58.

“Ele me carregou no colo como um noivo carrega a noiva (…) Então ele se deitou em cima de mim”, contou ao dizer que o ator aparentava estar bêbado. Pelo Twitter, Kevin Spacey disse não se lembrar do caso, mas se desculpou pelo “comportamento inapropriado e os sentimentos que acompanharam Rapp por anos”.

“Essa história me encorajou a falar sobre outras coisas de minha vida (…) Eu já me relacionei com homens e mulheres ao longo da vida e escolhi viver como um homem gay. Quero lidar com isso de forma honesta e aberta e isso começa comigo examinando meu comportamento”, escreveu.