Após acusações de assédio, Plácido Domingo já tem nome retirado de eventos

  • Por Jovem Pan
  • 13/08/2019 16h09
EFEDenúncias contra tenor de 78 anos foram publicadas pela agência Associated Press

A Orquestra da Filadélfia anunciou nesta terça-feira (13) que retirou o convite para que o tenor espanhol Plácido Domingo se apresentasse na abertura da temporada de concertos da instituição, no dia 18 de setembro.

A decisão é uma reação imediata às acusações de assédio sexual feitas por nove mulheres, divulgadas pela agência de notícias Associated Press (AP).

“Estamos comprometidos a proporcionar um ambiente seguro, solidário, respeitoso e apropriado para a Orquestra, os funcionários, os artistas, compositores e colaboradores, além do nosso público”, diz comunicado.

No concerto de abertura da temporada, Plácido Domingo se apresentaria com a soprano Adela Zaharia, sob a direção de Yannick Nézet-Séguin.

Na agenda oficial de Domingo, publicada em seu site, ainda consta o concerto na Orquestra da Filadélfia. O tenor tem mais de dez apresentações confirmadas até o fim deste ano.

Nesta terça-feira, nove mulheres relataram em reportagem da AP que o tenor as assediou sexualmente. O espanhol respondeu que sempre entendeu que as interações e relações que manteve com mulheres eram “bem-vindas e consensuais”.

Domingo disse ainda que as alegações, feitas sob anonimato são profundamente preocupantes e inexatas.


Acusações

Das nove mulheres ouvidas pela AP, apenas a meio-soprano Patricia Wulf aceitou divulgar publicamente o seu nome. A ex-cantora de ópera disse contar com uma testemunha do suposto comportamento inadequado do tenor espanhol.

“O meu relato do que aconteceu é verdadeiro”, disse Wulf, de 61 anos, que assegura ter cantado “em múltiplas ocasiões” com Plácido Domingo na Ópera Nacional de Washington, instituição da qual o cantor espanhol foi diretor artístico e diretor-geral.

“Tenho uma testemunha que respaldará tudo isto”, acrescentou a artista aposentada, que não quis dar mais detalhes do caso porque, disse, “é muito difícil falar sobre isso”.

Em entrevista à agência Associated Press (AP), Wulf afirmou que “cada vez que saía do palco”, Domingo a esperava, se aproximava e sussurrava: “Patricia, tem que ir para sua casa esta noite?”.

Pelo menos outras oito mulheres – sete cantoras e uma dançarina – formularam acusações similares contra Domingo. Nos depoimentos das demais mulheres, uma delas afirma que o cantor colocou a mão por baixo de sua saia logo após um ensaio.

Outros relatos incluem tentativas de beijos à força. Ainda segundo os relatos, aquelas que negavam as investidas de Domingo eram ameaçadas com a perda de emprego e boicote na profissão.

*Com Agência EFE