Walter Mercado comemora 50 anos de programa de TV e ganha exposição

Aos 87 anos de idade, Walter Mercado é tema de uma exposição no Museu da História de Miami

  • Por Jovem Pan
  • 02/08/2019 16h29 - Atualizado em 02/08/2019 16h30
EFE/Giorgio VieraFamoso no Brasil, Walter Mercado é tema de exposição em Miami

O astrólogo porto-riquenho Walter Mercado, que ficou famoso no Brasil pelo bordão “Ligue Djá” em um comercial, comemora 50 anos da estreia de seu programa na televisão nos Estados Unidos e ganhou uma exposição no Museu da História de Miami que será aberta ao público a partir desta sexta-feira (2).

Entre o acervo da mostra estão 12 mil suntuosas capas e algumas das opulentas joias que o astrólogo até hoje usa, assim como outros objetos pessoais, fotografias e obras de arte.

“Cinquenta anos não são nada”, afirmou o multifacetado artista, que foi cantor, ator de teatro e de novelas, além de dançarino de balé e de dança espanhola, antes de se tornar astrólogo e, acima de tudo, um grande comunicador.

“Mucho, mucho amor”, a frase célebre com que Mercado se despedia dos telespectadores no programa que ficou no ar por 30 anos nos EUA e em vários países da América Latina, dá nome a uma exposição que desperta “sentimentos contraditórios”, a respeito de alguém que, até hoje, segue desvendando os mistérios do zodíaco em veículos de imprensa e nas redes sociais.

Se por um lado ele mostra satisfação com os feitos ao longo da carreira, Mercado teme estar dando a entender que já não está tão ativo, quando na verdade, aos 87 anos, continua se dizendo apaixonado por cumprir a tarefa que garante ter recebido de Deus. “Divulgar a mensagem de que todos nos abracemos como um só, como habitantes de um mesmo planeta”, contou.

O astrólogo aponta o amor como motor de sua vida, embora ele lamente que a palavra tenha ficado “viciada”, por muitos confundirem esse sentimento com o sexo. Mercado fala de amor como um sentimento profundo, de amizade, afeto e confraternidade.

Essa aula de amor é o sinal da Era de Aquário, de 2.335 anos de duração. Mercado disse que o casamento entre pessoas do mesmo sexo é uma antecipação das mudanças que estão por vir dentro deste período.

A falta de compaixão – sobre a qual Mercado se queixa em relação ao tratamento dado a imigrantes – é algo que, segundo o vidente, não está de acordo com o que a Era de Aquário significa e lhe “preocupa profundamente”, como fez questão de ressaltar em sua mensagem aos Estados Unidos por ocasião do dia da independência do país, celebrado em 4 de julho.

“Se esqueceram dos irmãos na Terra”, disse o astrólogo, que também pede para que haja compaixão com as pessoas que deixam seus países em busca de um lugar em que tenham proteção, não passem fome ou sofram com a violência.

Mercado define-se como uma pessoa “simples” e “singela”, embora não seja isso que aparente. Perfeitamente penteado e maquiado, parece brilhar habitualmente. Sem a tradicional capa, Mercado parece mais jovem do que diz sua biografia. A fonte da eterna juventude, garante, está no coração. “Se você acumula ódio e rancor, o rosto fica feio”, definiu.

Nascido em Ponce, em Porto Rico, no dia 9 de março de 1932, Mercado foi criado em uma fazenda de cana-de-açúcar. O astrólogo contou que a criança “doentia e diferente” que foi passava o tempo olhando as estrelas, com obsessão pelo mundo astral.

A astrologia surgiu em sua vida e ficou para sempre quando precisou preencher tempo em um programa transmitido pela televisão em Porto Rico, devido à ausência de um convidado. Mercado improvisou uma descrição dos 12 signos e teve sucesso. Acabou ganhando o próprio show sobre o tema anos depois. A astrologia é a “ciência mais antiga, a mais venerada e a mais atacada”, lamentou, ressaltando que as estrelas “não obrigam” o ser humano, mas o “inclinam” e o ajudam a conhecer seu destino.

*Com EFE