Ficha Técnica: Pérola Negra

  • Por Jovem Pan
  • 10/01/2014 10h09

Escola abre o último dia de desfilesFicha Pérola Negra

Escola de samba: Pérola Negra
Data e hora do desfile: Sábado, 1º de março, às 22h30

Fundação: 7 de agosto de 1973
Presidente: Edilson Carlos Casal
Cores: Vermelho, Preto, Azul, Branco
Títulos: Nenhum
Quadra: Rua Girassol, 51 Vila Madalena

Carnaval 2014
Tema: Foz Caminhos segui, lugar encontrei… Pérola Negra – a suprema Felicidade!
Carnavalesco: André Machado
Diretor de Carnaval: Fábio Flisch, Sheila Mônaco, Jairo Roizen
Diretor de Harmonia: Carlinhos Barbosa
Intérprete: Celsinho Mody e Mydras Schmidt
Mestre de Bateria: Bola
Mestre-Sala: Everson Sena
Porta-Bandeira: Giza Camillo
Comissão de Frente: Oyama Queiroz
Rainha de Bateria: Lorena Bueri
Samba-enredo:
Onde mora essa tal felicidade,
Se não em todos os lugares ou lugar nenhum?
Qual será o caminho que dela me aproxima?
Será utopia ou realidade?
Sonho ou ilusão?
Eis o paradoxo da vida
Uma via de mão dupla:
Poucos com muito, felizes
Muitos com pouco, também
Aqui, ali, entre ricos e pobres
Educados ou não
Dama da virtude que não escolhe a cor
O gênero e a religião.

Da vida como um sobrevivente
Desejo-te como a sorte
Um banquete de desejos
Do grego, “eudaimonia”
Dos deuses, um presente
Uma água-marinha
Uma escolha divina, prosperidade
Desaguando do céu como fonte
Em forma de Graças
Jovens de belas faces
Senhoras do encantamento, filhas de Zeus:
O esplendor, a alegria e o desabrochar

De dentro pra fora de mim
O auto conhecimento, Ananda
A paz interior, o Caminho do meio
Para enfim, encontrar o destino
Manifestar o amor , a alegria
No caminho da virtude
No prazer de viver , No contentamento
No Feng Shui

És cultuada no exercício da fé
Descrita na Visão de Túndalo
Aos bem-aventurados Filhos de Israel, és recompensa
Promessa abonada aos tributários de Deus
Para servir-lhes do gozo da tua presença
E fugir do tempo das trevas
No Júbilo do Paraíso

Também relacionada à longevidade
Na idade média foi estudo da alquimia
Na busca da pedra filosofal
E alvo de porções milagrosas (elixires)
Para assegurá-la
Assim como amuletos e talismãs
Capazes de mantê-la entre os homens

Contudo, no uso da Luz da razão
Passou a ser desejada por direito natural
Não apenas como golpe do acaso
Ou favor divino
Ganhou status de projeto
Ligado a justiça, igualdade e bem-estar social
Tornou índice no reino do Butão
Felicidade Interna Bruta
Para medir a satisfação coletiva
A tal “qualidade de vida”
Ansiada por cada um de nós
Porém, continua a dúvida:
Onde mora a felicidade?
Musa subjetiva que se esconde
Na realização dos nossos sonhos
Sejam pessoais ou profissionais
Ou simplesmente nos gestos mais simples
Como um abraço e um beijo
Sim, às vezes ela mora num afago
Em outras, na aquisição de um bem material
Mas podemos comprá-la?
Estarás embutida numa pílula ou num antídoto?
Será que se escondes no reflexo narcisista do espelho?
Ou ainda, em nosso desejo de ser amado (a)?

Doravante acredito na sua generosidade
Pois é uma coisa que pode ser dada mesmo sem ter
Uma lição que sabemos de cor
Só nos falta aprender

Então cuidado para não confundi-la
Alegria é estar – felicidade é ser
Loucura é achar que não existe
A vida não teria sentido!

Muito bem, há 40 anos encontrei a suprema felicidade
Um lugar onde o samba é a nossa alegria
Filosofia que faz sonhar
E a gente embora contra a corrente
Cantando aquilo que sente
Faz a vida vibrar
Então… venha!
Você verá que vale à pena
Chegar na Vila Madalena e ver o povo sambar… e ser Feliz!
Descobrir que não há caminho para felicidade
A felicidade é o caminho!
E a Pérola Negra é o lugar!