Ficha Técnica: Tom Maior

  • Por Jovem Pan
  • 10/01/2014 09h32

Desfile de 2013 da Tom Maior

Tom Maior

Escola de samba: Tom Maior
Data e hora do desfile: Sexta-feira, 28 de fevereiro, às 06h05

Fundação: 14 de fevereiro de 1973
Presidente: Luciana Silva
Cores: Vermelho, Amarelo, Branco
Títulos: Nenhum
Quadra: Rua Sérgio Tomás, 622 – Barra Funda

Carnaval 2014
Tema: Foz do Iguaçu, Destino do Mundo – Sinfonia das Águas em Tom Maior
Carnavalesco: Mauro Quintaes
Diretor de Carnaval: Necco
Diretor de Harmonia: Comissão de Harmonia
Intérprete: René Sobral e Maradona
Mestre de Bateria: Mestre Carlão
Mestre-Sala: Jairo
Porta-Bandeira: Simone
Comissão de Frente: Alex Moreno
Rainha de Bateria: Pâmella Gomes
Samba-enredo:
O som que se ouve na mata a murmurar
É a voz nativa que a lenda fez surgir
Dizem que um dia os olhos da bela Naipi
Encontraram os do bravo guerreiro Tarobá
E do encontro explodiu um grande amor
Que geraria ódio, ciúme e muita dor
Pela ira do inimigo despertar
Pois Naipi havia sido prometida
A M’Boi, o terrível deus serpente
Que destruía tudo pela frente
Era a forma de vida mais temida
Mas o que fazer diante da ameaça?
Para escapar dessa eminente desgraça
Fugir pelo rio Iguaçu era a saída

Os amantes partiram conforme planejado
Mas o poderoso monstro os descobriu
M’Boi com toda fúria ali abriu
Diversas fendas sobre o rio navegado
Dizem que assim nasceram as cataratas
Naipi virou rocha entre as cascatas
Foi Tarobá em palmeira transformado

A lenda que ali fez a morada
Traduz todo o poder da natureza
É o mito que explica tal beleza
De uma paisagem que de fato é encantada
E a passarada que ali entoa um canto
É a trilha sonora do espanto
Do espanhol pioneiro na empreitada

Mais tarde veio a ocupação
Um pedacinho cá na terra lá do céu
As águas que formaram um imenso véu
Abençoaram os habitantes desse chão
De muitas terras vieram imigrantes
Gente de países tão distantes
Fizeram de Iguaçu o seu rincão

“Nos rios se confundem as nações”
Como canta em louvor seu belo hino
É brasileiro, paraguaio e argentino
A mistura onde se banham os pavilhões
E ergue com orgulho a bandeira
De exaltação à tríplice fronteira
Mas é verde e amarelo o seu destino

Assim como é brasileiro de verdade
O jeitinho nosso de comprar
É muamba que vem de lá pra cá
Viajando pela Ponte da Amizade
Na sacola, um mundo de produtos
Verdadeiros ou falsos atributos
“Lembrancinhas” que aqui vão se espalhar

E se o jogo no país é proibido
Logo ali tem cassino a noite inteira
Bem do outro lado da fronteira
Arriscar a sorte é permitido
Fortunas que se vão numa jogada
Ou se erguem na roleta desvairada
O tilintar das moedas é ouvido

E a força das águas se descortina
Sobre o leito do rio Paraná
É a luz de um gigante a gerar
A energia que a dois países ilumina
Assim nasceu a grande Itaipu
Trouxe o progresso para Foz do Iguaçu
Obra humana que tem a mão divina

Diante de um cenário colossal
As vozes compõem tal painel
Uma imensa Torre de Babel
Ecoando em pleno Parque Nacional
Mas se calam diante da beleza
Do esplendor maior da natureza
A maravilha que se transforma em carnaval

E hoje rufa a nossa bateri
É mais uma voz feliz que se levanta
Para exaltar a Foz que se agiganta
De Iguaçu vem uma bela melodia
É batuque, canto e muito mais
E com orgulho meu povo é quem faz
Em Tom Maior, a mais linda sinfonia!