Independente Tricolor abre o Carnaval, “toca o terror” no Anhembi e sofre com problemas

  • Por Jovem Pan
  • 10/02/2018 00h00 - Atualizado em 10/02/2018 01h14
GERO RODRIGUES/ESTADÃO CONTEÚDOCarro abre-alas da Independente Tricolor, que sofreu com problemas, homenageou Zé do Caixão

Com o enredo “Luz, Câmera e Terror – Uma Produção Independente”, a debutante do Grupo Especial do Carnaval de São Paulo, Independente Tricolor, abriu o desfile na noite desta sexta-feira (9). E a escola da Zona Norte da capital, ligada a torcida uniformizada do São Paulo Futebol Clube, “tocou o terror” na passarela do samba.

Com 25 alas, cinco alegorias e 2600 integrantes a escola enfrentou alguns problemas. O primeiro foi logo com o carro abre-alas, que teve dificuldade para entrar no Anhembi e teve que ser rebocado, prejudicando a evolução da escola. Sheila Mello, ex-dançarina do É o Tchan e madrinha da bateria, também sofreu ao ter que ajustar sua roupa durante o desfile.

Problemas e tensão à parte, a escola conseguiu contar a história dos filmes de terror no Anhembi. A Independente falou sobre fantasmas, vampiros, caveiras, bruxas e zumbis, além de relembrar nomes marcantes do cinema, como o Zé do Caixão, personagem de José Mojica Marins, um dos mais renomados cineastas, atores e roteiristas do país.

A Independente Tricolor conseguiu fechar o desfile em 62 minutos e não estourou o tempo, fazendo um desfile criativo, mas que foi prejudicado pelos problemas com o abre-alas.

Confira as imagens do desfile da Independente Tricolor: