IV Centenário teve a mirabolante história da 1ª ganhadora do Oscar, uma estrela da Broadway e calote profissional

  • Por Jovem Pan
  • 06/02/2015 10h56

MaryMary

O ano de 1955 marcou o 400º aniversário da cidade de São Paulo e foi palco para encontro de grandes nomes do showbusiness no Brasil. Foi no Porto de Santos que começou uma história um tanto mirabolante que envolveu a primeira ganhadora do Oscar, uma estrela da Broadway e um calote profissional.

Na época, ao contrário do que se pode imaginar, o lugar em que as celebridades se refugiavam era nada mais, nada menos do que Anápolis, em Goiás.

Foi lá que Janet Gaynor, a primeira atriz a receber o Oscar, em 1928, por “Sétimo Céu” e “Aurora”, resolveu se afastar do glamour de Hollywood e fixar residência em uma fazenda. Em 1939, ela já havia abandonado a carreira – que contava com mais de 40 filmes – e, em meados da década de 1950, mudou-se com o marido, Gilbert Adrian, para o Brasil.

Em 1955, no entanto, a curiosa história se desenrolou. A premiadíssima estrela da Broadway, Mary Martin, acabava de finalizar a temporada da peça “Peter Pan”, quando rumou ao lado do esposo Richard Halliday e sua filha para a Grécia.

Tudo ia bem quando a bagagem da família extraviou e não viram outra possibilidade senão mudar o itinerário em busca de seus pertences. Mal sabiam eles que iriam parar no Porto de Santos, em São Paulo. Mais do que isso: receberam uma correspondência dos amigos Gaynor e Adrian, que os convidaram para passar uma temporada em Anápolis.

Visita Surpresa e Calote

Mas como Janet sabia que Mary estaria a caminho? Ela não sabia. Sua mãe a avisara, após ler um artigo em uma coluna de jornal, que Martin pretendia visitar o Brasil. Então, Gaynor resolveu deixar uma carta no Porto para quando a amiga saísse.

Quando os velhos conhecidos se reuniram, Mary e Richard se apaixonaram pelo cenário e paisagem de Goiás, manifestando desejo de comprar uma propriedade. Nesse momento, entra outra atriz, Joan Lowell, conhecida pelo cinema mudo e que foi a primeira a resolver vir ao país, resolveu intermediar a negociação para o casal.

Empolgados, eles mandaram dinheiro e procuração para Joan, mas, quando visitaram as terras que seriam suas, foram recepcionados por uma rajada de balas dos verdadeiros donos. Joan, por sua vez, desconversou e chegou a passar cheque sem fundo.

“Nossa Fazenda Halliday”

O sonho de ter uma casa no Brasil, apesar dos pesares, não acabou. O fazendeiro brasileiro Gibran El-Hadj decidiu se prontificar a ser o representante de May e Richard no país. Foi assim que surgiu a denominada “Nossa Fazenda Halliday”, uma suntuosa construção nos moldes de Hollywood.

Mary dividiu sua carreira na Broadway – entre sucessos nos palcos – com viagens para Anápolis. Ela deixou o país permanentemente na década de 1970, e passou a propriedade para o seu caseiro.