Fundação venezuelana doa 45 obras de arte a museu espanhol

  • Por Jovem Pan
  • 11/03/2019 14h57
Joaquín Cortés/Román Lores/DivulgaçãoO Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofía, da Espanha, recebeu 45 obras de uma fundação venezuelana

A organização Coleção Patricia Phelps de Cisneros (CPPC), da Venezuela,  doou ao Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofía, da Espanha, 45 obras de arte contemporânea latino-americanas pertencentes a 33 artistas, a maioria de Brasil e Venezuela.

A doação, segundo o Reina Sofía, permitirá “reforçar a pesquisa” sobre os movimentos contemporâneos surgidos na América Latina desde 1990 até a atualidade.

O marco cronológico das obras tem especial importância, especialmente o que se refere às décadas de 90 e os primeiros anos do século XXI, já que é o menos representado dentro da coleção atual de arte latino-americana do Museu.

Os 33 artistas reunidos, entre os quais há, além dos brasileiros e venezuelanos, argentinos, colombianos, mexicanos e americanos, representam uma diversidade geracional e um amplo espectro de práticas artísticas. A doação abrange pinturas, esculturas, instalações, obras gráficas, desenhos, livros de artista, colagens, entre outros.

A Coleção Patricia Phelps de Cisneros já realizou uma doação à Fundação do Museu em 2018, formada por um conjunto de criações com o foco em relatos sobre identidade de gênero, território, memória e linguagem.

Com sede em Nova York e Caracas, a CPPC é composta por cinco coleções (arte contemporânea, moderna, colonial, artistas viajantes da América Latina e coleção Orinoco), nas quais reúne obras desde o século XVII à atualidade. A coleção foi criada no início dos anos 90 pela venezuelana Patricia Phelps de Cisneros como principal programa de arte da Fundação Cisneros, gerenciada por ela junto ao seu marido, o empresário Gustavo Cisneros.

*Com EFE