Homem surdo processa site pornô nos EUA por falta de legendas em vídeos

‘Policial sexy consegue que testemunha fale’ seria um dos vídeos aos quais homem assistiu e não conseguiu entender o diálogo entre os personagens

  • Por Jovem Pan
  • 17/01/2020 09h45 - Atualizado em 17/01/2020 09h47
Rick Tolboom/FreeimagesSite Pornhub já anunciou nova seção com vídeos legendados

Um homem surdo abriu uma ação coletiva nos Estados Unidos contra o site pornô Pornhub por não incluir legendas em seus vídeos.

Segundo o portal TMZ, o responsável pela ação, Yaroslav Suris, afirma que a falta de legendas nos vídeos do Pornhub, um dos sites do gênero mais populares na internet, contraria a lei federal sobre pessoas com deficiência, aprovada em 1990.

O autor do processo, de acordo com o portal americano, afirma que as pessoas com problemas auditivos não conseguem compreender as conversas dos vídeos do.

A ação, inclusive, inclui nomes de vídeos aos quais ele supostamente assistiu e que não conseguiu entender o diálogo entre os personagens. Um deles, por exemplo, é intitulado “Policial sexy consegue que testemunha fale”.

Suris alegou que pensou em assinar a versão paga do site, mas avaliou que o Pornhub não merece seu dinheiro já que não conta com legendas para as pessoas com problemas de audição.

O processo exige que o Pornhub inclua legendas em seus vídeos e que mude seu site para que ele seja inclusivo. Suris também quer uma indenização da empresa.

Não está claro se o processo avançará na Justiça já que, em junho de 2018, o Pornhub anunciou uma nova seção com vídeos legendados.

“Cada vídeo terá texto interpretativo e descritivo para ajudar a melhorar a experiência dos usuários que não sejam capazes de ouvir o som original do vídeo. Isso inclui ajudá-los a distinguir entre as diferentes pessoas que falam e as mudanças emocionais não verbais ou em suas vozes que sejam relevantes para a narração”, disse a empresa em nota à época.

“Aqui no Pornhub é importante que continuemos atendendo a todas as necessidades de nossos usuários e tornando o conteúdo acessível para todos”, afirmou então o vice-presidente da companhia, Corey Price.

*Com Agência EFE