Mesmo depois de “cremado”, Alexandre Nero consegue roubar a cena final de “Império”

  • Por Jovem Pan
  • 13/03/2015 23h41

Ùltimo capítulo de "Império" reserva emoções ao telespectador

Ùltimo capítulo de "Império" reserva emoções ao telespectador

Com a sinopse do capítulo final divulgada na internet mais cedo nesta sexta-feira (13), a novela “Império” não trouxe muitas surpresas no episódio derradeiro, a não ser por um detalhe em uma cena misteriosa no último minuto.

Ao entrar no galpão abandonado para salvar a filha Cristina (Leandra Leal), Zé Alfredo (Alexandre Nero) atirou em Maurílio (Carmo Dalla Vecchia), antes que Maurílio fizesse o mesmo com ele. A morte de seu filho despertou a raiva de Silviano, mas, mesmo assim, o mordomo não conseguiu matar o comendador, que foi livrado da morte por seu fiel escudeiro Josué (Roberto Birindelli). O motorista se viu obrigado a atirar no mordomo quando este sacou uma arma escondida sob o paletó.

Mas era só Silviano que tinha uma arma escondida. Cristina (Leandra Leal) conseguiu soltar suas mãos e derrubar Zé Pedro (Caio Blat) do veículo onde estavam. Zé Alfredo até tentou atirar no filho, mas seu coração falou mais alto e não conseguiu ir adiante. Ele não, mas Zé Pedro sim. Quando todos pensavam que ele estava desarmado, ele tirou um pequeno revólver dos sapatos e atirou contra o próprio pai.

Após o crime, ele até tentou se matar, mas foi impedido por Cristina (Leandra Leal), enfatizando que, ao invés de morrer, ele ia sofrer e pagar por tudo que havia feito. Todas as mulheres e filhos de Zé Alfredo se reuniram e se abraçaram em uma cena emocionante de despedida do imperador, que foi cremado.

Marta (Lília Cabral) decidiu jogar as cinzas no Monte Roraima, como ele sempre quis, com a promessa de voltar sempre para “falar” com o marido. Todas as mulheres da vida de Zé entraram em ação para participar deste momento final: Isis (Marina Ruy Barbosa), Clara (Andréia Horta) e Cristina (Leandra Leal).

Já João Lucas (Daniel Rocha), revoltado com a decisão da mãe, decidiu ir ao Monte por conta própria. Ao encontrar o masbaha do pai, que Zé Alfredo perdeu quando seu diamante cor-de-rosa foi roubado, ele o desfiou, firmando-se como o sucessor do comendador e dono da Império.

E o mundo deu voltas para Enrico (Joaquim Lopes). O personagem voltou para o Brasil casado com uma mulher negra e mostrou que superou o preconceito, apresentando a beldade aos pais.

Diagnosticado com Alzheimer, Severo (Tato Gabus Mendes) recebe os cuidados de Magnólia (Zezé Polessa). A fala emocionante da atriz comprovou seu amor pelo amado: “Esse é só o primeiro dia do resto de nossas vidas!”

Salvador (Paulo Vilhena) teve sucesso como pintor. Com a esquizofrenia medicada, ele partiu para a Europa com Helena (Julia Fajardo) e Orville (Paulo Rocha).

Xana (Ailton Graça) e Naná (Viviane Araújo) se casaram no cartório para criar o menino Luciano (Yago Machado). O casal ainda recebeu Antônio (Lucci Ferreira) para morar com eles.

Sonho de longa data, Téo Pereira (Paulo Betti) alcança o prestígio de jornalista bem-sucedido e lança o livro “O inesquecível Homem de Preto!”. Ao lado de Érika (Letícia Birkheuer), grávida de Robertão (Rômulo Neto), ele entregou a obra para João Lucas, que se emocionou com a dedicatória: “Que o filho seja igual o pai, inesquecível mesmo”. Até o autor Aguinaldo Silva deu as caras na fila de autógrafos e fez sua ponta na trama. Téo se interessou tanto pelo nome do “fã” (Aguinaldo) que prometeu que a próxima biografia se escrevesse seria dele. Fica para a próxima novela!

Oito anos depois, a novela terminou repetindo a clássica foto da família Medeiros, com todos os membros reunidos para comemorar mais um aniversário da Império. A foto seria bem comum se não fosse a aparição surpresa de Zé Alfredo quase que como um fantasma. Ou era um fantasma? Depois de o fotógrafo acionar a câmera e a imagem congelar, eis que o comendador surgiu de forma sinistra na janela do lado direito da foto para “observar” sua família, não deixando de alisar o bigode.