Metade dos homens considera que bloco de Carnaval não é lugar de mulher “direita”

  • Por Jovem Pan
  • 09/02/2016 15h18
O Bloco do Desmanche saiu da rua Augusta foi até o Vale do Anhangabaú

Metade dos homens considera que bloco de Carnaval não é lugar de mulher “direita”, aponta pesquisa do Instituto Data Popular. O levantamento mostra que a maior parte da visão masculina ainda é machista em relação à participação de mulheres nos festejos de rua.

61% dos entrevistados disseram ainda que mulher solteira que vai pular Carnaval não pode reclamar de ser cantada. A repórter Helen Braun ouviu os foliões em São Paulo que confirmaram a análise, e não foram apenas os homens que concordaram com as afirmativas (Ouça no áudio acima).

O presidente do Instituto Data Popular ressalta que o machismo ainda é visto como algo natural no Brasil. Renato Meirelles aponta ao repórter Anderson Costa que este sentimento contribui para a desigualdade que ainda existe entre os sexos.

O levantamento do Data Popular é uma contribuição à campanha Carnaval Sem Assédio, do site Catraca Livre. A pesquisa revela ainda que 70% dos homens acreditam que as mulheres se sentem felizes quando ouvem um assobio.

59% acham que elas gostam de cantada e 49% tem a percepção de que agradam quando chamam as mulheres de gostosas. A escritora Clara Averbuck, criadora do site feminista “Lugar de Mulher”, analisa a percepção dos homens sobre as cantadas

A pesquisa aponta ainda que 56% dos homens consideram que mulheres que usam aplicativos de relacionamento não querem nada sério. O levantamento do Instituto Data Popular foi feito com 3 mil e 500 homens com idade igual ou superior a 16 anos, em 146 municípios brasileiros.