Modelo jamaicana processa agência de Trump por trabalho análogo à escravidão

  • Por Jovem Pan
  • 15/03/2016 21h41

Alexa Palmer processa agência de modelos de Donald Trump por trabalho análogo à escravidão

Reprodução Alexa Palmer

Polêmico por suas opiniões xenófobas, Donald Trump está passando por problemas na Justiça. Sua agência de modelos, a “Trump Model Management”, está sendo processada pela modelo jamaicana Alexa Palmer, que acusa a empresa de quebra de contrato e situação que se assemelha à escravidão.

Em entrevista ao programa “Good Morning America”, Alexa contou que foi contratada sob um acordo que valia U$75mil por ano e, em três anos de trabalho, ganhou menos de US$ 5 mil. “Estava muito empolgada. Todas as modelos na Jamaica sonham em assinar contrato com uma agência”, disse.

Alan Garten, advogado de Donald Trump , defendeu que a culpa do que aconteceu não é da empresa. “Quanto maior for a demanda por certa modelo, mais ela ganha. No caso da modelo que estamos falando, infelizmente, não havia muita”. Alexa, entretanto, não concorda: “isso é o que os escravocratas fazem! Você trabalha e não ganha dinheiro”.

A empresa ainda alega que cobriu custos de trabalho da modelo, como hospedagens, transportes e alimentação. Legalmente impedida de trabalhar em outras agências, ela acabou voltando para a Jamaica.