Morre Dona Dodô, porta-bandeira número 1 da Portela

  • Por Agência Brasil
  • 06/01/2015 17h27
Portela Divulgação Morre Dodô da Portela

Morreu hoje (6) Maria das Dores Alves Rodrigues, a Dona Dodô, da Portela. A morte foi confirmada pela Secretaria Municipal de Saúde. Símbolo da escola de samba do bairro de Madureira, zona norte do Rio, a porta-bandeira completou 95 anos no último sábado (3) e não teve a causa da morte divulgada. Ela estava internada em estado grave no Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, em Acari, com um quadro clínico de desnutrição e desidratação.

A Portela prestou homenagem  com uma imagem da porta-bandeira no Facebook. Dona Dodô que assistiu a escola ganhar o primeiro título, em 1935, deve ser homenageada no desfile deste ano, cujo o enredo remete aos 450 anos da cidade do Rio de Janeiro.

“Tia Dodô foi um exemplo de dedicação para todos os portelenses. Figura que frequentou a quadra até poucos dias antes de ser internada, Dodô irradiava energia, apesar da idade, e sempre foi uma grande conselheira de toda a família portelense”, disseram os diretores da escola, em nota.

Considerada porta-bandeira número 1 da escola, Maria das Dores Alves nasceu em Barra Mansa, no sul do estado do Rio, em 1920. Em entrevista publicada no site da Portela, ela descreveu o que era ser uma porta-bandeira naquela época, expressando o seu amor pela escola do coração.

“Tanto para mim quanto para as outras porta-bandeiras a dança era diferente, o rodopio era diferente. Mas, agora, o que está faltando ao nosso samba é amor. Cada um por sua escola. Se você era Portela, você não podia sair na Mangueira, no Salgueiro. Agora não. As pessoas, somente em uma noite, saem em quatro ou cinco escolas. Estão enganando os outros”, criticou.