Após post sobre "mau gosto musical", Jorge Vercillo se retrata: "nada contra Jojo Todynho"

  • Por Jovem Pan
  • 06/02/2018 12h52
Divulgação

O músico Jorge Vercillo causou polêmica nas redes sociais nesta segunda-feira (5) ao compartilhar um texto em seu perfil criticando o atual gosto musical de parte dos brasileiros. Na publicação, ele fez referência especialmente ao hit Que Tiro Foi Esse? da cantora carioca Jojo Todynho.

“Que tiro foi esse que deram nos cérebros brasileiros roubando-lhes a capacidade de pensar sobre o que cantam e não proclamar o que encanta? Que tiro foi esse que acertou os tímpanos do nosso povo fazendo-os ouvir lixo achando que é música?”, diz o texto compartilhado pelo artista, atribuído a Arnaldo Jabor.

Mas a publicação não foi bem recebida por alguns de seus seguidores, que instantaneamente questionaram a atitude do cantor. “Discordo. Quem estabelece o que é lixo e o que é bom? Complicado. Por que o que é produzido pelas classes populares é lixo? Talvez seja a expressão da realidade dessa classe, que é a grande maioria da sociedade brasileira. Acho que falta uma reflexão profunda sobre o fenômeno. Crítica pela crítica pode soar como preconceito”, escreveu uma internauta. “Amo Jorge, Milton, Gil, etc… A música que Jojo Todynho faz é uma coisa diferente, até certo ponto divertida. Sempre teve espaço pra coisas assim. Eu não classifico a artista nem sua música de lixo, ela representa sua gente, sua origem, merece respeito”, completou outro.

Em seguida, Vercillo se retratou – mas não parou de questionar a qualidade de parte das composições atuais. “Até agora há 4 horas atrás nem sequer sabia da existência de uma música chamada Que Tiro Foi Esse? nem conhecia essa cantora Jojo Todynho, a quem em momento algum tive intenção de criticar. Critico sim, esse sitema que está emburrecendo grande parte da música brasileira e a todos nós! Mas não tenho nada contra essa moça, inclusive agora assisti o clipe e o achei com um roteiro bastante criativo e bem humorado. Sinceramente não vou elogiar a música, pois seria hipocrisia da minha parte. Foi como disse nos textos antes, a composição parece que não tem mais tanta importância assim para algumas pessoas, acho isso curioso, existem clipes bem feitos como esse, com um bom roteiro, levantando até questões importantes de liberdade de escolha sexual, mas música mesmo… É uma pena”, disse.

Confira aqui a íntegra das publicações de Vercillo: