Cara elogia Beyoncé, mas critica o Coachella: “me recuso a ir a festival com dono anti-LGBT”

  • Por Jovem Pan
  • 17/04/2018 16h22
Reprodução

A britânica Cara Delevingne causou polêmica na internet nesta semana ao fazer uma série de publicações controversas em suas redes sociais sobre a edição de 2018 do Coachella. A modelo (assim como todos) rasgou elogios à apresentação da cantora Beyoncé, mas, em seguida, reiterou sua posição (já declarada anteriormente) de boicote ao festival.

Nós explicamos. Tudo começou tranquilamente com a exaltação do inesquecível show da popstar. “Estou sem palavras. Essa performance me fez chorar e me deu arrepios. Especialmente a reunião das Destiny’s Child. ICÔNICO é pouco. Obrigada por inspirar tantos e por levantar umas às outras”, escreveu em uma imagem de Bey, Michelle Williams e Kelly Rowland junto à hashtag #GirlPower.

Depois, no entanto, ela foi questionada por alguns seguidores sobre sua postura. Afinal de contas, ela, que já havia declarado boicote ao evento em momentos anteriores, continuaria se recusando a participar ou não? E a resposta foi afirmativa.

“Algumas pessoas estão comentando o fato de eu ter postado sobre minha raiva contra o dono do Coachella e depois sobre a Beyoncé. Minha hashtag era #Nochella. Eu ainda me recuso a ir a um festival cujo dono é anti-LGBT e pró-armas. Eu posso expor aquele homem e o festival e mostrar meu apreço por uma artista ao mesmo tempo. Só porque eu amo a Beyoncé não significa que eu agora amo o Coachella. Eu ainda não iria. E eu não vou deixar nada ficar entre minha demonstração de amor ou ódio por qualquer coisa. Não deixe ninguém ficar entre você e a sua verdade”, postou nos Stories do Instagram. 

Philip Anschutz, o dono do festival, esteve envolvido em uma série de  discussões nos últimos anos. De acordo com rumores, ele seria apoiador de entidades conservadoras contrárias à união homossexual, ao aborto e à legalização das drogas ao mesmo tempo em que defenderia organizações pró armas de fogo. Cara, namorada de Paris Jackson (filha do cantor Michael Jackson), por sua vez, possui forte atuação na causa LGBT.