De Chico Buarque a Jorge Drexler: os destaque do Grammy Latino 2018

  • Por Jovem Pan
  • 16/11/2018 09h21 - Atualizado em 16/11/2018 09h55
Reprodução/ Instagram Chico venceu em melhor álbum de música popular brasileira e melhor canção em língua portuguesa

Nesta quinta-feira (15) aconteceu a 19ª edição do Grammy Latino em Las Vegas. As expectativas estavam todas voltadas para o colombiano J Balvin, líder em indicações, somando oito no total. Contrariando a todos, ele levou um único prêmio, o de melhor álbum de música urbana, o projeto “Vibras”.

O destaque da noite ficou, na verdade, com Jorge Drexler. O uruguaio saiu com três prêmios, entre eles o mais prestigiado do evento: melhor gravação do ano, com “Telefonía”, vencedora também de melhor música do ano. Para completar o trio de estatuetas, Drexler faturou em melhor álbum cantor-compositor com “Salvavidas De Hielo”.

A espanhola Rosalia e o porto-riquenho Luís Miguel ficaram empatados na segunda posição da lista, conquistando dois prêmios cada. Rosalia levou na categoria melhor fusão/interpretação urbana e melhor música alternativa. O porto-riquenho, por sua vez, ficou com o melhor álbum de música ranchera/mariachi e álbum do ano.

Nas premiações voltadas para a língua portuguesa, o experiente Chico Buarque foi destaque e levou dois prêmios: melhor álbum de música popular brasileira e melhor canção em língua portuguesa. O carioca também concorria na categoria álbum do ano, premiação principal. O Brasil continuou muito bem representado com Fernanda Brum (melhor álbum cristão), Anaadi (melhor álbum pop contemporâneo), Lenine (melhor álbum de rock ou música alternativa), Maria Rita (melhor álbum de samba/pagode), Chitãozinho & Xororó (melhor álbum de música sertaneja) e Almir Sater & Renato Teixeira (melhor álbum de música de raízes).

Para Anitta, no entanto, não foi dessa vez. A funkeira foi a única brasileira a concorrer em duas categorias na premiação principal, mas, infelizmente, não voltou com nenhuma estatueta para casa. As nomeações foram com “Sua Cara” (melhor fusão/interpretação urbana) e “Downtown” (melhor música urbana).

Confira a lista completa dos vencedores do Grammy Latino 2018:

Gravação do Ano: “Telefonía” – Jorge Drexler

Álbum do Ano: “¡MÉXICO Por Siempre!” – Luis Miguel

Música do Ano: “Telefonía” – Jorge Drexler

Melhor Artista Revelação: Karol G

Melhor Álbum Pop Vocal Contemporâneo: “F.A.M.E.” – Maluma

Melhor Álbum Pop Vocal Tradicional: “Hazte Sentir” – Laura Pausini

Melhor Fusão/Interpretação Urbana: “Malamente” – Rosalía

Melhor Álbum de Música Urbana: “Vibras” – J Balvin

Melhor Música Urbana: “Dura” – Daddy Yankee

Melhor Álbum de Rock: “Expectativas” – Bunbury

Melhor Álbum Pop/Rock: “Geometría del Rayo” – Manolo García

Melhor Música de Rock: “Tu Vida Mi Vida” – Fito Páez

Melhor Álbum de Música Alternativa: “Claroscura” – Aterciopelados

Melhor Música Alternativa: “Malamente” – Rosalía

Melhor Álbum de Salsa: “25/7” – Víctor Manuelle

Melhor Álbum de Cumbia/Vallenato: “Esto Es Vida” – Silvestre Dangond

Melhor Álbum Tropical Contemporâneo: “Vives” – Carlos Vives

Melhor Álbum Tropical Tradicional: “A Mí Qué – Tributo a los Clásicos Urbanos” – José ALberto El Canario & El Septeto Santiaguero

Melhor Álbum de Fusão Tropical: “Como Anillo Al Dedo” – Aymee Nuviola

Melhor Música Tropial: “Quiero Tempo” – Victor Manuelle fat. Juan Luis Guerra

Melhor Álbum Cantautor (Cantor-Compositor): “Salvavidas De Hielo” – Jorge Drexler

Melhor Álbum de Música Ranchera/Mariachi: “¡MÉXICO Por Siempre!” – Luis Miguel

Melhor Álbum de Música Banda: “Los Gustos Que Me Doy” – Banda Los Recoditos

Melhor Álbum de Música Tejana: “Tex Mex Funk” – Roger Velásquez & The Latin Legendz

Melhor Álbum de Música Norteña: “Guerra de Poder” – Calibre 50 e “Los Ángeles Existen” – Pesado

Melhor Música Regional Mexicana: “Probablemente” – Christian Nodal

Melhor Álbum Instrumental: “Identidad” – Miguel Siso

Melhor Álbum Folclórico: “Musas (Un Homenaje Al Folclore Latinoamericano En Manos De Los Macorinos), Vol. 2)” – Natalia Lafourcade

Melhor Álbum de Tango: “Vigor Tanguero” – Pedro Giraudo

Melhor Álbum de Música Flamenca: “Al Este Del Cante” – Arcángel

Melhor Álbum de Jazz Latino/Jazz: “Natureza Universal” – Hermeto Pascoal & Big Band

Melhor ÁLbum Cristão (Em Espanhol): “Setenta Veces Siete” – Alfareros

Melhor Álbum Cristão (Em Português): “Som da Minha Vida” – Fernanda Brum

Melhor Álbum Pop Contemporâneo Em Língua Portuguesa: “Noturno” – Anaadi

Melhor Álbum de Rock ou Música Alternativa Em Língua Portuguesa: “Lenine Em Trânsito” – Lenine

Melhor Álbum de Samba/Pagode: “Amor e Música” – Maria Rita

Melhor Álbum de Música Popular Brasileira: “Caravanas” – Chico Buarque

Melhor Álbum de Música Sertaneja: “Elas Em Evidências” – Chitãozinho & Xororó

Melhor Álbum de Música de Raízes Em Língua Portuguesa: “+AR” – Almir Sater & Renato Teixeira

Melhor Música Em Língua Portuguesa: “As Caravanas” – Chico Buarque

Melhor Álbum de Música Latina Para Crianças: “Imaginare” – Claraluna

Melhor Álbum de Música Clássica: “Mágica y Misteriosa” – Claudia Montero

Melhor Obra/Composição Clássica Contemporânea: “Luces y Sombras. Concierto Para Guitarra y Orquestra de Cuerdas” – Claudia Montero

Melhor Arranjo: “Se Le Ve” – Milton Salcedo feat. Amaury Gutiérrez, Carlos Oliva e Michel Puche

Melhor Capa: “Diferentes Tipos de Luz” – Carlos Sadness

Melhor Engenharia de Gravação Para um Álbum: “50 Años Tocando Para Ti” – Orquestra Filarmônica de Bogotá

Produtor(a) do Ano: Linda Briceño

Melhor Vídeo Musical Versão Curta: “Pa Dentro” – Juanes

Melhor Vídeo Musical Versão Longa: “En Letra de Otro – Documentary” – Pedro Capó