Feliz #BeyDay! Lembre os momentos mais Girl Power de Beyoncé

  • Por Jovem Pan
  • 04/09/2018 14h00
Reprodução

No mundo da música, não tem como deixar o dia 04 de setembro passar em branco: é o #BeyDay! Beyoncé completa 37 anos nesta data e são muitas as maneiras e comemorar – e até agradecer – a cantora.

Só em 2018, Bey foi a verdadeira rainha do Coachella, iniciou a On The Run II ao lado de Jay-Z, lançou o álbum ‘Everything Is Love’ com o marido, ficou responsável pela edição de setembro da Vogue – e tudo isso sendo mãe de Blue Ivy e dos recém-nascidos Rumi e Carter.

Como se isso não bastasse, nós resolvemos exaltar ainda mais Queen B e lembramos dos seus maiores momentos Girl Power ao longo de todos os anos que ela tem criado verdadeiros hinos.

Se liga:

Sororidade

O VMA de 2009 é um dos mais famosos. O motivo? O climão entre Taylor Swift e Kanye West quando o rapper invadiu o palco e impediu a cantora de aceitar o prêmio de Clipe do Ano como forma de ‘protesto’ pela derrota de Beyoncé. Mas Queen B foi o verdadeiro cristal da noite e, ao receber seu prêmio, cedeu seu momento no palco para que Taylor pudesse agradecer.

Who Run The World? Girls

O ano era 2011, quando expressões como Girl Power ainda não tinham tanta força, mas Beyoncé lançou um verdadeiro hino feminino. ‘Who Run The World (Girls)’ chegou abalando estruturas e o clipe cheio de mulheres só confirmou a mensagem que Queen B estava mandando para as mulheres e todo o mundo.

The Suga Mamas

Nem todos sabem, mas Beyoncé tem uma banda composta única e inteiramente por mulheres. Chamada Suga Mama, a banda fez sua primeira performance com Bey em 2007 e a própria cantora explicou o motivo de ter só mulheres no palco. “Tive a ideia de ter muitas mulheres no palco tocando instrumentos para que garotas vejam e se inspirem a tocar instrumentos”.  

Feminist

Em 2013, depois de dois anos sem lançamentos, Beyoncé lançou de surpresa um novo álbum completo que iria definir de vez o seu posicionamento da música. ‘Flawless’ foi a faixa que marcou o momento e os novos ares: ela se declarou feminista com um letreiro enorme e ainda fez questão de usar trecho da escritora Chimamanda Ngozi Adichie no clipe – dando espaço a mais uma mulher em seu meio.

Beychella

Como a cantora, empreendedora e mulher que é, Beyoncé merecia um festival próprio. Mas enquanto isso não acontece, ela praticamente tornou o Coachella 2018 um espaço seu. Headliner das noites do festival, a cantora colocou tudo pra jogo e mostrou porque é uma das mulheres mais influentes do mundo da música.