Grammy 2016: Marcado por homenagens, evento não empolga e vira piada entre o público

  • Por Jovem Pan
  • 16/02/2016 09h13
EFE<p><span>Maior premiação musical aconteceu na noite desta segunda-feira (15), em Los Angeles</span></p>

A 58ª edição do Grammy nesta segunda-feira (15) estava sendo muito aguardada, mas, com apresentações mornas e um tanto aceleradas, a premiação apenas confirmou o favoritismo de alguns candidatos, como Taylor Swift e Kendrick Lamar, mas não conseguiu empolgar o público.

—related—Mulher mais indicada da noite, foi a loira, aliás, a responsável por abrir o evento com a canção “Out of the Woods”, ela faturou três troféus ao todo, como Álbum do Ano, por “1989”, Melhor Álbum Pop Vocal e Melhor Clipe, por “Bad Blood”.

Carrie Underwood e Sam Hunt abriram as apresentações, mas foi quando The Weeknd entoou seu badalado “Can’t Feel My Face” seguido por “In The Night”, que a plateia se levantou para aplaudi-lo de pé.

Um dos pontos altos foi a belíssima homenagem feita a Lionel Ritchie, por John Legend com o clássico “Easy Like Sunday Morning”, Demi Lovato com sua voz poderosa em “Hello”, e as participações de Luke Bryan, Meghan Trainor e Tyreese. Animado, o cantor ainda subiu ao palco para fechar com chave de ouro a apresentação dos pupilos com “All Night Long”.

Steavie Wonder também fez um pequeno espetáculo à parte, como não poderia ser diferente. Em seu discurso sobre as recentes perdas para a música, ele puxou um incrível solo com o grupo Pentatonix, para em seguida brincar com o envelope do resultado, ao anunciar o ganhador de Música do Ano. “Está em braile, vocês não sabem ler em braile”, disse aos risos, antes de chamar Ed Sheeran, que ficou emocionado por dividir este momento com o astro.

Com mais uma manifestação contra o racismo e com cenário provocativo, Kendrick Lamar arrebatou ao interpretar um medley de “The Blacker The Berry” e “Alright”, sendo extremamente aplaudido pelos colegas. Recordistas nas indicações, com 11, sendo superado apenas por Michael Jackson que levou 12 em 1984, o cantor faturou cinco prêmios, são eles: Melhor Álbum de Hip Hop em “To Pimp a Butterly”, Melhor Colaboração de Rap por “These Walls”, Melhor Performance e Melhor Rap por “Alright”, além da dobradinha com Taylor Swift em “Bad Blood”, como Melhor Performance de Grupo Pop.

Além de Justin Bieber ao vivo com “Love Yourself” e “Where Are U Now” e Adele serena e poderosa em “All I Ask”, o destaque ficou para o tributo de Lady Gaga à David Bowie, que morreu no último mês. Com todos os efeitos, figurinos e cenários a que tinha direito, Gaga explorou todo o seu potencial vocal e ainda chamou o guitarrista Nile Rodgers para o especial.

A frustração da noite foi a ausência de Rihanna, que com bronquite teve de cancelar a sua apresentação no evento, deixando mais uma vez no ar o suspense sobre seu novo CD, que ainda não teve nenhuma apresentação ao vivo.

Confira aqui a repercussão na internet: