Hannah Montana, twerk, Malibu: as maiores reinvenções de Miley Cyrus ao longo dos anos

  • Por Jovem Pan
  • 23/11/2017 17h14
Reprodução

De uma das maiores estrelas da Disney à representante do twerk, Miley Cyrus faz aniversário neste dia 23 de novembro – e apesar de parecer que ela está há décadas conseguindo surpreender a todos, a cantora está completando apenas 24 anos.

Apesar da pouca idade, Miley é especialista em conseguir se reinventar com seus novos projetos – quem não lembra do polêmico twerk e a nova “era Malibu”? E apesar das loucuras que possa ter feito, ela conseguiu fixar seu nome entre os grandes da música.

Dentro da crítica musical, não há quem duvide do talento da cantora, que surgiu como Hannah Montana aos 11 anos. Quer lembrar as maiores mudanças e surpresas que ela já fez? Se liga:


Hannah Montana/ Miley Cyrus

Quando ainda era reconhecida como Hannah Montana, Miley decidiu mostrar que, na verdade, era muito maior que a personagem – e bem diferente dela. Com apenas 1 ano de Disney, a cantora lançou o disco “Meet Miley Cyrus” (2007) e mostrou uma versão um tanto diferente com “Start All Over”. 


Tchau, Hannah Montana

Um ano depois foi a vez de ir mais além com “Breakout” (2008) e os singles “7 Things” e “See You Again”. Ainda era Hannah Montana, mas com letras mais adolescentes que exploravam tanto os vocais de Miley quanto sua personalidade distante da personagem da Disney. 


Party in the USA

Não demorou para a cantora, aos poucos, se descolar de Hannah Montana mesmo enquanto a série estava no ar e uma das primeiras vezes em que conseguiu foi com “Party In The USA” – esse foi o momento “ela cresceu”. E continuou a reforçar isso com o disco “Can’t Be Tamed” (2010) e “Who Owns My Heart”.


Rainha do Twerk

Mas foi com o twerk que Miley deixou claro que Hannah Montana e a imagem de “estrela da Disney” estavam mortos. Depois de 3 anos do fim do programa, ela chocou o mundo do pop ao lançar “Bangerz” (2013) e liberar um clipe mais ousado que o outro (“We Can’t Stop” e “Wrecking Ball”), fazer parcerias inusitadas no hip-hop, usar a língua para fora como marca registrada, até que atingiu a polêmica do twerk no VMA. Quem era Hannah Montana? Todos ficaram obcecados com essa nova Miley.


Happy Hippie

Passado o impacto inicial do twerk, Miley, aos poucos, começou a dar sinais de uma nova transformação. A Happy Hippie Foundation foi um deles. Com a organização, a cantora mudou sua “estratégia” de exposição e passou a usar a fama para expor causas em que acredita, como ajuda a adolescentes que vivem nas ruas de Los Angeles. Foi a época do disco experimental “Miley Cyrus and Her Dead Petz”, de 2015.


A era Malibu

E em um momento em que ninguém esperava, Miley anunciou seu retorno à música com um disco que seria diferente de tudo que já havia feito. E foi – não só o disco como ela mesma. A era Malibu chegou e trouxe uma Miley que causou tanto impacto quanto “Bangerz”: clean, meio country e bem mais madura musicalmente.