Hopi Pride: festival reúne artistas LGBT em celebração da diversidade

  • Por Leonan Oliveira
  • 24/11/2019 14h47 - Atualizado em 24/11/2019 16h04
DivulgaçãoPabllo Vittar se apresenta na Hopi Pride 2018

A 4ª edição do Hopi Pride, festival de música LGBT do Hopi Hari, aconteceu na noite de sábado (23) para domingo (24). O evento contou com apresentações de nomes como Mateus Carrilho, Aretuza Lovi, Pepita, Lia Clark, Gloria Groove e Pabllo Vittar e um público animado de mais de 17 mil pessoas. 

De acordo com Laila Braghero, gestora de comunicação e marketing do Hopi Hari, o maior diferencial do Hopi Pride em relação aos demais eventos em celebração da diversidade é o ambiente no qual ele está inserido. “É o único festival LGBT em um parque temático no mundo inteiro. Se muitos festivais hoje, principalmente no Brasil, a galera leva o parque até o festival, aqui é o contrário: a gente traz o festival para o parque”, disse em entrevista à Jovem Pan. 

Para ela, o Hopi Pride é “um dia voltado para celebrar o amor, celebrar a diversidade”. Essa preocupação em ser um lugar acolhedor para a comunidade LGBT é diretamente ligada ao bom relacionamento e necessidade de diversidade determinada pelo próprio Hopi Hari. “O parque tem um público LGBT muito fiel, inclusive dentro do quadro de funcionários. A gente ouve muito o público e quer fazer coisas que agradam”, completou. 

Além dos mais de 40 brinquedos do parque, que já são um show à parte, o público ficou dividido entre as atrações musicais, que juntas somavam mais de 17h de música. Guto Ruiz, produtor e idealizador do Hopi Pride, conta que o planejamento do line-up é sempre acompanhado de uma atenção especial para que seja algo relevante para a comunidade LGBT. “Já que é uma festa das gays, das sapatões, então por que a gente não traz essa diversidade para o nosso line-up?”, disse. 

 

“Ser LGBT é ter que ser duas vezes melhor”

Em entrevista para a Jovem Pan, Gloria Groove destacou que eventos como o Hopi Pride são importantes porque são “um lembrete da luta por tudo que ainda podemos realizar” e, acima de tudo, a prova da força da comunidade LGBT. “É necessário destacar e estabelecer a potência do público LGBTQIA+ como consumidores de algo que conversa com a sua realidade, bem como reconhecer e valorizar o talento da comunidade ao montar um line-up”, disse. 

No palco, a drag queen disse estar muito feliz de fazer parte do Hopi Pride e que eventos como esse são “a construção da comunidade LGBT”. 

Pabllo Vittar encerrou a edição deste ano com bastante animação e participação do público, apesar do horário. A cantora assumiu a festa perto de 03h30 e seguiu dançando e cantando até perto das 05h00. 

Vittar apresentou grandes hits, como ‘Problema Seu’ e ‘K.O’, e agradeceu o público LGBT por sempre ser tão apoiador de artistas da cena.