Lana del Rey cancela show em Israel por motivos políticos; entenda

  • Por Jovem Pan
  • 01/09/2018 09h32
Reprodução/Instagram

A cantora Lana del Rey anunciou nesta sexta-feira que cancelará um show que faria na próxima semana em um festival em Israel, mas que pretende se apresentar no país quando puder cantar também na Palestina, alegando que pretende tratar seus fãs da região da mesma forma.

O cancelamento foi decidido em meio a uma campanha que pede que artistas não se apresentem em Israel como uma forma de protesto contra as ações militares do país na Palestina.

“É importante para mim me fazer apresentações tanto na Palestina como em Israel e tratar todos os meus fãs igualmente. Infelizmente, não foi possível organizar ambas as visitas em tão pouco tempo e, portanto, estou adiando minha apresentação no Meteor Festival até o momento em que possa marcar visitas a meus fãs israelenses e palestinos, assim como, espero, a outros países da região”, escreveu a artista no Twitter.

Lana del Rey seria uma das principais atrações do festival de música independente Meteor, que acontecerá no fim de semana que vem.

“Acabamos de saber que a Lana não vai se apresentar no Metor. Apreciamos que tenha escolhido o Meteor para ajudá-la a conseguir alguma atenção da imprensa”, afirmou a organização do evento, que há alguns dias disse que que o festival é uma iniciativa privada “sem financiamento nem em benefício de nenhuma entidade governamental ou política”, em resposta à campanha promovida pelo movimento Boicote, Desinvestimento e Sanções (BDS).

A campanha reivindica o corte das relações com o país nos âmbitos político, econômico, acadêmico e cultural até o fim da ocupação de territórios palestinos e tinha lançado a hashtag #LanaDontGo (“Lana não vá”) em redes sociais, pedindo para que ela e os demais participantes do festival cancelassem as apresentações e ajudassem na luta palestina “por liberdade, justiça e igualdade”.

Já o movimento palestino para o Boicote Acadêmico e Cultural de Israel (PACBI) parabenizou a iniciativa e disse esperar que os palestinos possam assistir a uma apresentação da cantora “quando a ocupação e a separação acabarem”.