Mais leve, Jair Naves divulga segundo disco da carreira solo; ouça!

  • Por Jovem Pan
  • 03/02/2015 14h43
Divulgação

À frente do Ludovic, Jair Naves embalou muitas rodinhas de bate cabeça, deu moshs e rolou nos palcos. Em carreira solo, o músico empunhou um violão e chamou a mãe para frequentar as apresentações. Inclusive, é o que ele espera para a turnê de Trovões A Me Atingir, segundo álbum disponibilizado para audição e download nesta terça-feira (03).

“O disco aborda muito amor e paixão, mas sem aquela abordagem clássica e cafona. Algumas pessoas acabam se perdendo na paixão e outras pessoas são salvas por ela e esse tema já proporcionou que as músicas fossem mais delicadas e suaves”, afirmou o artista sobre as nove faixas do álbum.

Jair Naves sente que o mais novo trabalho é essencial para a carreira e que carrega uma responsabilidade maior em relação ao álbum de estreia, o E Você Se Sente Numa Cela Escura, Planejando A Sua Fuga, Cavando O Chão Com As Próprias Unhas (2012). “O peso por ser o segundo disco é maior, no primeiro você meio que não tem muito a perder. O segundo é sempre decisivo na carreira de um artista”, comentou. Antes do primeiro álbum, o ex-Ludovic divulgou dois EPs: Araguari (2010) e Um Passo Por Vez (2011).

Apenas a letra do single Prece Atendida foi escrita antes do músico de voz grave entrar em estúdio. Os demais versos foram sendo compostos enquanto as músicas eram finalizadas. “Apesar de ser delicada e a música mais convencional que eu tenha lançado, foi uma que causou espanto nas pessoas. Percebo que a imagem sobre mim é de alguém ligado ao rock pesado. Engraçado como isso (o single) inverteu as expectativas. Talvez seja provocativo, mas saudável”, completou.

A foto da capa do cd também foi importante para suavizar o título do novo disco: artista está tomando sol e uma montanha aos arredores de Curitiba (PR), laureado por raios de sol. E esse não foi o único detalhe calculado do disco. “Desta vez, eu quis fazer uma coisa diferente, mais pensada, mais complexa, com arranjos diferentes e grandiosos. Acho que a maior diferença reside aí, além de ser (um disco) mais melódico e reflexivo”, falou do que considera a grande diferença com os trabalhos anteriores.

Gravado em São Paulo com a participação de outros artistas, como Bárbara Eugênia, Beto Mejia, Camila Zamith e Guizado, o álbum contou com R$ 31,3 mil arrecadados junto aos fãs para produzir as nove músicas inéditas por meio de uma campanha de financiamento coletiva realizada em 2014. O show de lançamento está marcado para 27 de fevereiro no Auditório do Ibirapuera, em São Paulo, com os músicos que participaram das gravações, além de Hélio Flanders, do Vanguart.