Repouso longe dos palcos é essencial para Simaria se recuperar de doença, explica médico

  • Por Júlia Paolieri
  • 18/09/2018 07h47 - Atualizado em 18/09/2018 15h54
Reprodução/ InstagramCantora anunciou pausa na dupla com a irmã, Simone, para tratamento da tuberculose ganglionar

Diagnosticada com tuberculose ganglionar em abril deste ano, Simaria iniciou tratamento contra a doença e tentou voltar aos palcos com a irmã Simone, mas a retomada da agenda de shows puxada foi precoce. Essa semana, a dupla anunciou pausa até que a sertaneja consiga se recuperar inteiramente.

A notícia foi um susto para os fãs, mas conforme explica o médico Dr. Rafael Pardo, infectologista do Hospital Municipal Vila Maria, à Jovem Pan, esse quadro é normal entre os que estão em tratamento contra a tuberculose e o repouso, longe do stress dos palcos, é crucial para recuperação total da cantora.

“Toda vez que começamos a tratar uma doença, exigimos do corpo que ele vença. Se o seu passa a se preocupar em cantar, dormir mal, você tira a atenção da doença e começa a focar em outras coisas, então a doença aproveita esse momento e volta a ficar ruim. Ela não piorou, ficou mais grave do que estava, mas é normal do tratamento”, explicou.

Para aqueles que vivem em grandes cidades e estão sempre em locais aglomerados, é fácil entrar em contato com a bactéria que causou a tuberculose ganglionar em Simaria: cerca de 90% podem já ter entrado em contado com a bactéria, mas isso não significa que todos terão o diagnóstico.

Conforme explica o infectologista, o corpo precisa de uma baixa muito grande na resistência – que foi o que aconteceu com a cantora da primeira vez – para a doença se instalar. “Quando pessoa passa por um momento de muito estresse, uma turnê musical por exemplo, o corpo é muito exigido e isso acaba levando ao estresse. O estresse reduz a imunidade e faz com que essa bactéria se reative, causando a tuberculose”.

A doença, embora grave, não apresenta risco de morte e é potencialmente curável na maioria dos casos se for tratada adequadamente.

Tuberculose ganglionar: o que é?

A tuberculose é causada por uma bactéria que se instala no corpo da maioria das pessoas que se expõem em multidões. No caso de São Paulo: pegam ônibus, metrô, avião e ficam em locais aglomerados. A bactéria só se desenvolve, no entanto, quando o corpo apresenta as condições de baixa imunidade. A partir daí, a doença aparece de forma lenta. 

A tuberculose ganglionar causa quadro típico de suor no período da tarde, febre, perda de peso, fraqueza, perda do apetite, mas tem fator diferencial: ela não é transmissível como a tuberculose pulmonar.

Tratamento para eliminação completa, mas sem imunidade

Simaria já iniciou o tratamento que dura um total de 6 meses e é o mesmo da tuberculose pulmonar: com antibióticos, envolvendo 4 medicamentos do SUS.

Dependendo do trabalho e funções do dia a dia, não é necessário o repouso absoluto – mas no caso da cantora, o novo afastamento dos palcos se tornou prova de como o trabalho estressante pode atrapalhar. Os sintomas da tuberculose continuam a aparecer durante o período de tratamento, mas também fazem parte da recuperação.

Assim que o tratamento bem feito chega ao fim, a bactéria está completamente eliminada, mas o corpo não cria uma imunidade permanente. Sendo assim, caso a pessoa seja exposta a bactéria novamente e tenha baixa na imunidade, pode desenvolver a doença novamente.

Existe prevenção?

No caso de crianças, a prevenção da tuberculose ganglionar acontece pela vacina da BCG, que protege até certa idade. Nos adultos, por outro lado, não há uma forma de prevenção. O recomendado é sempre uma boa alimentação, descanso e rotina saudável.

“Álcool e diabetes predispõem a pessoa a maior chance de ter tuberculose”, alerta o Dr. Rafael.