Ximbinha nega ter agredido cantora: ‘Estão tentando me envolver em violência contra a mulher’

Ximbinha é acusado de agredir Clara Maués, ex-cantora da banda do guitarrista

  • Por Jovem Pan
  • 16/01/2020 18h51
Reprodução/InstagramXimbinha e Clara Maués, ex-vocalista da banda do guitarrista, Cabaré do Brega

O músico Ximbinha, conhecido por ter integrado a banda Calypso ao lado da ex-esposa, Joelma, se pronunciou nesta quinta-feira (16) após ter sido acusado de agredir Clara Maués, ex-cantora da banda dele, o Cabaré do Brega.

“Estou aqui para esclarecer. Mais uma vez estão tentando me envolver em violência contra a mulher. Isso está ficando até chato”, afirmou, em vídeo divulgado pela sua assessoria de imprensa.

Ximbinha relata que, no dia da suposta agressão, Carla “chegou no estúdio muito alterada”, chegando a dar um “chute na porta”. “Em nenhum momento eu agredi Carla com palavras e menos [ainda] com violência, nunca. Em nenhum momento falei alguma coisa denegrindo a imagem dela na frente da filha. A filha dela não estava no estúdio”, garantiu o guitarrista.

Segundo comunicado, o fato teria ocorrido em 11 de dezembro de 2019, e “depois da situação, Carla e Ximbinha ainda fizeram dez shows juntos e o clima sempre era de tranquilidade.”

“Ximbinha ressalta que a cena de descontrole de Carla Maués foi testemunhada por quatro músicos, que serão arrolados como testemunhas no processo que ele vai mover contra Carla Maués e o cantor aposentado Wladimir Costa”, prossegue o texto.

A denúncia de agressão foi feita por Wladimir Costa, cantor paraense da Banda Wlad e ex-deputado federal, em vídeo publicado no Facebook na noite de terça-feira (14). Wlad Costa, como é conhecido, ganhou notoriedade nacional após ostentar uma tatuagem com o nome de Michel Temer, então presidente, em 2017.

Posteriormente, Carla Maués enviou um vídeo para o “Balanço Geral”, da Record TV, na quarta-feira (15), detalhando a suposta agressão. “Eu havia deixado a Clarinha [filha] no sofá atrás de mim, e estava de pé, conversando com ele [Ximbinha]. Esse homem começou a gritar, me expulsar, escurraçar, como se eu fosse um lixo. Com os piores palavrões que vocês podem imaginar, aos berros”, afirmou.

“Eu fiquei em estado de choque, mas, quando ele veio para cima de mim, o meu instinto foi procurar a minha filha. Quando olhei para trás, minha filha estava paralisada, com o olhinho assustado olhando para aquela cena”, prosseguiuj.

“Ainda tive a presença de espírito de dizer para o meu amigo Edilson Moreno, ‘tire a minha filha daqui’. O Edilson imediatamente pegou a Clarinha e levou para a rua. Daí se seguiram gritarias e agressões verbais. Horrível”, concluiu.

Em outro vídeo divulgado pela assessoria de Ximbinha, Edilson Moreno relata que Carla Maués teria chegado alterada ao estúdio, e após reclamar de ter sido chamada em cima da hora, Ximbinha teria dito para ela ir embora.

No momento seguinte, ela afirmou que iria conversar com Ximbinha e pediu para que Edilson tirasse a filha de Clara do local. “Em nenhum momento a criança viu ou ouviu nada”, afirma o músico.

*Com Estadão Conteúdo