“Não posso me calar”, desabafa Cris Vianna após ataques racistas combinados

  • Por Jovem Pan
  • 30/11/2015 18h33

Cris Vianna se recusa a não responder ataques racistas em seu Facebook

Reprodução/ Facebook Cris Vianna

Na madrugada deste domingo (29), Cris Vianna foi vítima de uma série de comentários racistas em sua página do Facebook. Na foto de perfil, atualizada no último mês de setembro, vários usuários da rede social combinaram de escrever críticas relacionadas ao cabelo cacheado e à cor da pele da atriz e, segundo ela mesma, todos foram denunciados.

Os usuários fazem parte do grupo secreto “Turma do Fundão”, segundo o próprio administrador admitiu em um dos comentários. Não satisfeito, ele postou um print com os perfis de todos que fizeram os comentários racistas na foto de Cris Vianna, chamados de “meliantes” por um defensor da atriz.

Na mesma rede social, ela postou um grande desabafo sobre o ocorrido, inconformada com a situação. “Infelizmente, ainda passamos por isso em pleno 2015. Recentemente, a vítima foi a competente jornalista Maria Júlia Coutinho. E agora, apenas um mês após minha linda colega Taís Araújo também ter sido vergonhosa e covardemente atacada, aqui estamos novamente precisando enfrentar racistas escondidos sob o pretenso anonimato da internet”, começou Cris.

“Na noite do último domingo, minha página do Facebook recebeu uma série de comentários preconceituosos, imediatamente registrados e encaminhados à Justiça. Não posso me calar. Se meu trabalho me permite alguma expressividade, usarei minha voz por muitos que sofrem esse tipo de ataque racista diariamente e voltam para casa calados, cansados de não serem ouvidos, para chorar sozinhos. Como todos vocês, tenho orgulho da minha pele, do meu cabelo, da minha origem e de tudo o que sou. Do que somos. E não estamos sozinhos”.

Em sua postagem, Cris Vianna ainda destacou que racismo é um crime inafiançável no Brasil, país onde existem pessoas racistas e outras que entendem a importância de respeitar as diferenças. “Sinto um encantamento profundo por essa mistura de cores que embeleza o nosso país e nos faz, brasileiros todos, sermos o que somos. A vergonha e a tristeza que sinto hoje são por essas pessoas pequenas, pobres de espírito e de coração vazio, que, em 2015, ainda insistem em reproduzir pensamentos há muito ultrapassados e desde sempre absurdos. São covardes com mentes limitadas, incapazes de enxergar e aceitar que somos todos, com as nossas diferenças e peculiaridades, dignos do mesmo respeito. A essa minoria cega e burra, minha pena”, escreveu Cris Vianna.