Nilton Travesso comemora 81 anos; relembre a carreira desse mito

  • Por Jovem Pan
  • 20/05/2015 15h28
Tuta e Nilton TravessoTuta e Nilton Travesso no Jovem Pan Morning Show

Nesta quarta-feira (20), Nilton Travesso completa 81 anos, sendo 55 deles de carreira na televisão. O ator e diretor, que já trabalhou como office-boy, dirigiu seu primeiro programa pela TV Record em 1960, quando tinha apenas 26 anos: “A Família Trapo”. Estrelado por ninguém menos que Jô Soares e Ronald Golias, o humorístico contou com várias participações, incluindo Pelé.

A partir de então, sua carreira memorável nasceu e deslanchou. E, segundo o testemunho do próprio Nilton Travesso no site de sua escola de atores, tudo começou quase ao acaso. O pai de um amigo lhe avisou que o advogado e empresário Paulo Machado de Carvalho ia abrir uma nova estação de televisão e, para o que se tornaria a TV Record, procurava pessoas sem vínculo com a TV Tupi ou a TV Paulista, para um curso para profissionais de televisão.

“Quando eu cruzei seus portões para me inscrever nesse curso não sabia que estava a caminho de mudar toda a minha vida”, escreveu Travesso. De fato, ele é considerado atualmente como um dos maiores nomes da comunicação brasileira e, além da direção do programa “Todo Seu” (apresentado por Ronnie Von, na TV Gazeta), também é responsável pelo “Saia Justa” (apresentado por Astrid Fontenelle, Maria Ribeiro, Mônica Martelli e Barbara Gancia, no GNT) e comenta sobre televisão aqui na Jovem Pan.

No período da ditadura militar, Nilton Travesso também dirigiu os famosos Festivais de Música Popular Brasileira, transmitidos pela TV Record. Na primeira edição, em 1965, a cantora Elis Regina foi a vencedora com a canção “Arrastão”, escrita por Vinícius de Morais e Edu Lobo. Foi também no decorrer das edições dos Festivais da TV Record que outros artistas foram descobertos, como Geraldo Vandré com o hino “Para Não Dizer Que Não Falei das Flores”.

Na década de 1980, Travesso foi chamado pela TV Globo para retornar às suas raízes humorísticas, dirigindo o comediante Chico Anysio, no “Chico Anysio Show”, cujo título foi retomado após “Chico City”, nos anos 1980. Também na emissora, Nilton dirigiu o programa matinal TV Mulher, que contou com várias equipes de produção. A mais marcante do programa foi a primeira, Marília Gabriela, Ney Gonçalves Dias, Ala Szerman, Xênia Bier, Marta Suplicy e Clodovil Hernandez e com a participação de Zora Yonara.

No ano de 2004, Nilton Travesso dirigiu a quarta edição do reality “A Casa dos Artistas” (do SBT), que foi também a última. Desde o começo do nº, o programa enfrentou acusações de plágio pela imprensa do modelo do programa Big Brother Brasil, que apenas a Globo tinha contrato com a Endemol para exibir o reality. A Justiça deu ganho de causa ao SBT e, nas noites de domingo de novembro e dezembro, o SBT conquistou pela primeira vez o primeiro lugar em audiência no horário, competindo com o “Fantástico” (ainda apresentado por Glória Maria). Travesso dirigiu a última edição, pois a emissora preferiu não arriscar novos processos nos próximos anos.

Quando a Jovem Pan decidiu fazer televisão na internet, Nilton também foi fazer essa novidade alavancar, em dupla com o Sr. Tuta, antigo parceiro da TV Record. Depois de fazer tantos lançamentos deslancharem, Nilton abriu sua própria escola de atores para televisão.