“No Brasil é Carnaval o ano inteiro”, diz Raul Neto, do Bloco Casa Comigo

  • Por Jovem Pan
  • 18/01/2016 13h26

Quase 20 mil pessoas foram às ruas para acompanhar o bloco em 2015

Bloco Casa Comigo - Carnaval 2016

Às avessas do clima descompromissado que marca o Carnaval, pelo quarto ano consecutivo o Bloco Casa Comigo comemora o amor pelas folias espalhadas nas ruas da cidade.

“Somos pessoas sérias, buscamos compromissos no Carnaval e se der problema é só desfazer na quarta-feira. A gente tenta se apaixonar e amar até a última gota, se não acontecer é inevitável, não dá para controlar essas coisas”, brincou Raul Neto, um dos fundadores do grupo, em entrevista à Jovem Pan.

O repertório também segue à risca o romantismo, mas traz uma mistura bem eclética de diversos ritmos, unindo todas as tribos em um só espetáculo.

“Além das marchinhas tradicionais, que são autorais do Bloco, a gente sempre faz um repertório baseado no amor e que normalmente tocam nos casamentos, coisa dos anos 80 e 90 que ficaram marcadas e nós fazemos releituras. Mas sempre têm coisas novas que tentamos incluir, tipo Amy Winehouse, Raimundos e deve entrar até um funk nessa brincadeira”, contou.

Mas a folia para essa galera não começa e nem termina em fevereiro, eles trabalham ao longo de todo o ano em diversas funções, seja em eventos paralelos ou na preparação de novos integrantes.

“Temos uma oficina para ensinar os alunos a tocarem nos Blocos, que é liderada por nós, fundadores, e por uma galera da Mocidade Alegre, que temos amizade. E o Casa Comigo também tem festas durante o ano que complementam o casamento que é o Carnaval, então temos a Lua de Mel, o Baile de Máscaras e uma banda, que faz festa de casamentos e festas corporativas, então a gente tenta manter o clima casamento e Carnaval o ano inteiro, levando a ferro e fogo de que no Brasil é Carnaval o ano inteiro”.

Ao contrário de 2015, quando desfilaram pela Vila Madalena, neste ano eles irão se apresentar na Av. Brigadeiro Faria Lima, próximo ao Instituto Tomie Ohtake, às 11h30 do dia 30 de janeiro.

“A prefeitura organizou bem a saída, existem blocos grandes nos mesmos dias, então há uma expectativa para saber como vai ser o movimento de cada um, o que deve dividir o público por conta dos horários serem parecidos, mas acho que teremos bons foliões para curtir lá com a gente”, completou.