Pete Doherty diz que retorno dos Libertines “é por dinheiro”

  • Por Agencia EFE
  • 04/05/2014 22h59

Londres, 1 mai (EFE).- O cantor Peter Doherty declarou que o retorno da banda Libertines, separada há quatro anos e que voltará a tocar no próximo dia 5 de julho como headliner no festival Barclaycard British Summer Time, é apenas “por dinheiro”.

Após receber várias críticas pelas razões que teriam motivado esse retorno, Doherty, em entrevista à revista britânica “NME”, ressaltou que “tocar por dinheiro é algo que faz parte do espírito dos Libertines”.

O grupo, criado em 1997 e que também conta com Carl Barât, Gary Powell e John Hassall, se reuniu pela última vez em 2010, quando tocaram no festival de música de Reading-Leeds, apresentação que serviu de base para um documentário sobre a banda.

Em entrevista à “NME”, Doherty relatou que, nessa ocasião, a banda recebeu muito pouco, uma vez descontados os impostos, acrescentando que no próximo show, a ser realizado no Hyde Park, também espera ganhar um número “desagregável”, já que, segundo seus cálculos, receberá US$ 850 mil.

O grupo londrino se separou em 2004, com apenas dois álbuns lançados, por conta das constantes brigas e dos problemas de Doherty com as drogas. Desta foram, tanto Pete quanto Barât passaram a se dedicar a carreira solo.

Antes da apresentação no Hyde Park, a banda deverá realizar alguns shows prévios – “talvez” com algum gratuito – e apresentará um novo material. As entradas para o show dos “Libertines” serão postas à venda amanhã por um preço mínimo de 55 libras.

Por outro lado, a realização do festival, que reuniu mais de 350 mil pessoas em sua última edição e que também contará Black Sabbath, Neil Young, Maximo Park e The Enemy, tem sido muito criticada pelos moradores do Hyde Park, que opinam que os horários do parque serão afetados. EFE