Portela leva história e canto de Clara Nunes para o Sambódromo do Rio

  • Por Jovem Pan
  • 05/03/2019 01h50 - Atualizado em 05/03/2019 02h05
ROBERTO VAZQUEZ/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDODesfile da Portela homenageou a cantora Clara Nunes

Clara Nunes foi a grande homenageada da Portela, a terceira escola a passar pela Sapucaí no início da madrugada desta terça (5).

Favorita ao título deste ano, a escola de Madureira levou para a Sapucaí o enredo “Na Madureira moderníssima, hei sempre de ouvir um sabiá”, também falando sobre Tarsila do Amaral, brasilidade e modernismo.

A porta-bandeira da escola, Lucinha Nobre, foi a primeira de muitas Claras Nunes a pisar no sambódromo. A atriz Gloria Pires e Orlando Morais representaram os pais da cantora na avenida.

As Guerreiras de Iansã abriram os caminhos da Portela na Comissão de Frente com coreografia de Carlinhos de Jesus. A Águia- símbolo da escola foi o carro abre-alas, grunhindo e ao som do canto do sabiá.

Em busca do seu 23º título, a Portela levou 3.400 componentes para a Sapucaí. As origens mineiras de Clara e sua relação com os orixás africanos também foram explorados.

A cantora Emanuelle Araújo, convida pela escola a performar Clara Nunes na avenida, foi um dos grandes destaques do desfile.