Tóquio estuda inglês para receber turistas nos Jogos Olímpicos de 2020

  • Por Agencia EFE
  • 21/01/2015 10h27

María Roldán.

Tóquio, 21 jan (EFE).- Como anfitriã dos Jogos Olímpicos de 2020, e frente a esperada avalanche de estrangeiros, Tóquio já se esforça para reforçar uma das grandes pendências do Japão: o inglês.

O governo metropolitano da capital começou a adotar uma série de medidas, que incluem o aumento do número de equipes de emergência capazes de se comunicar em inglês e a criação de uma central telefônica multilíngue, com o objetivo de facilitar a passagem dos turistas pelo país.

O serviço telefônico, que deve ser aberto no próximo ano fiscal – que começa em abril no Japão – será gratuito para hotéis, restaurantes e taxistas locais. Serão fornecidos intérpretes em inglês, chinês e coreano para atender os possíveis incidentes.

O “complexo” dos japoneses por não falar corretamente o inglês é tão grande que alguns restaurantes proibiram a entrada de estrangeiros, evitando assim problemas relacionados ao idioma.

Com as medidas anunciadas e em fase de implantação, o governo japonês quer tornar Tóquio mais cosmopolita e acolhedora para os turistas.

Além disso, o departamento de Bombeiros da capital aumentará o número de equipes que falam inglês das atuais 13 para 36, mesmo já contando com um sistema de placas de comunicação com imagens e textos nas duas línguas. A avaliação é que a comunicação direta é mais eficiente.

Para evitar que os 20 milhões de turistas, número fixado como meta pelo primeiro-ministro Shinzo Abe, não se percam nas caóticas ruas de Tóquio, o governo metropolitano começará também a realizar seminários de inglês a voluntários interessados em oferecer assistência linguística aos visitantes.

“Queremos repassar o espírito de hospitalidade de Tóquio ao mundo com esses voluntários, que falarão inglês com os turistas para ajudá-los a percorrer a cidade”, afirmou o governador da capital, Yoichi Masuzoe, que espera a inscrição de cerca de 35 mil pessoas no programa.

Apesar de estudar o idioma durante oito anos entre o ensino médio e a universidade, muitos japoneses seguem sem dominar o inglês, algo inesperado para uma potência econômica mundial como o Japão.

Conforme os dados mais recentes do índice de domínio do inglês “English Proficiency Index EF”, o Japão ocupa apenas o 26º lugar no ranking, composto por 63 países.

Segundo o último resultado de qualificações do exame oficial de inglês, TOELF, publicado pela entidade em 2013, o Japão é um dos piores países asiáticos na obtenção de certificados, só acima da Mongólia, Camboja, Tadjiquistão, Laos e Timor Leste. EFE