Após acusações de assédio, Kevin Spacey encarna Frank Underwood: ‘Não pagarei pelo que não fiz’

  • Por Jovem Pan
  • 24/12/2018 16h53
Reprodução/YouTubePouco mais de um ano após as acusações de assédio, Kevin Spacey reapareceu

Pouco mais de um ano após o estouro de um escândalo sexual, com direito a várias acusações de assédio, Kevin Spacey reapareceu. O ator postou um vídeo em sua conta no Twitter, nesta segunda-feira (24), em que volta a encarnar o personagem Frank Underwood, protagonista de “House of Cards“. Misturando fatos do personagem da Netflix e de sua própria vida, o artista pareceu se defender das acusações, mas sem mencioná-las. “Se eu não paguei pelo coisas que fiz e vocês sabem que fiz, não pagarei pelo que não fiz”, afirmou.

No vídeo, Spacey diz que sofreu um impeachment sem julgamento, mas que acredita que voltará. “Apesar da animosidade, das manchetes, do impeachment sem julgamento, apesar disso tudo, até mesmo da minha própria morte, eu estou surpreendentemente bem. E estou cada dia mais confiante que em breve vocês saberão toda a verdade”, afirmou. Em “House of Cards”, série na qual ele foi o protagonista por cinco temporadas, seu personagem morreu de uma temporada para a outra. O último ano da produção da Netflix, lançado em 2018, teve apenas Robin Wright como protagonista. “Espere um minuto… Vocês não me viram morrendo, viram?”, ironizou.

Usando o tom e a confiança habitual de Underwood, o ator diz que sabe que as pessoas querem que ele volte. Desde a primeira acusação, feita pelo ator Anthony Rapp, Spacey perdeu o contrato com a Netflix e chegou a ser substituído em um filme que ele já havia gravado. “Eles tentaram nos separar, mas o que nós temos é muito forte, muito poderoso”, disse. “Vocês acreditaram em mim, mesmo sabendo que não deviam. Então não acabou tudo entre nós, não importa o que qualquer um diga. E eu sei que o vocês querem. Vocês me querem de volta.”

O ressurgimento de Kevin Spacey aconteceu no mesmo dia em que o jornal americano “Boston Globe” afirmou que o ator será processado por assédio sexual pelo estado do Massachusetts. O suposto caso teria acontecido em um bar em julho de 2016. O artista ainda está sendo investigado por outras denúncias por autoridades de Los Angeles e da Inglaterra.