Astronauta no cinema, Brad Pitt conversa por vídeo com tripulante da Estação Espacial

Brad Pitt interpreta um astronauta no filme ‘Ad Astra’, que estreia no Brasil nesta quinta-feira (19)

  • Por Jovem Pan
  • 16/09/2019 19h46
DivulgaçãoBrad Pitt em cena de 'Ad Astra'; filme estreia nesta quinta-feira (19)

Brad Pitt conversou nesta segunda-feira (16), por meio de videoconferência, com o astronauta Nick Hague, que vive atualmente na Estação Espacial Internacional (ISS), em ato promocional do filme “Ad Astra”, que estreia nesta quinta-feira (19)

O bate-papo foi bem-humorado, com direito a pergunta do ator para o verdadeiro homem do espaço, sobre qual interpretação foi melhor, a de Pitt, ou a de George Clooney, uma das estrelas de “Gravidade”, lançado em 2013. O astronauta não titubeou e respondeu que Pitt foi melhor do que o amigo.

A conversa durou cerca de 20 minutos, e nela Hague contou que teve o privilégio de assistir “Ad Astra” antes do lançamento, e que aprovou a obra, considerando, inclusive, uma fonte de inspiração para novas gerações. “As crianças que hoje assistem esses filmes, são os que nos impulsionarão para o futuro”, garantiu o astronauta.

Observador, Pitt comentou sobre a organização da Estação Espacial Internacional, brincando com Hague sobre o que podia ver através da tela, durante a videoconferência. “Parece que a nossa nave no filme está um pouco mais limpa e ordenada”, disse o ator.

O astronauta admitiu que todos na ISS penduram tudo o que é possível pelas paredes. “É um pouco desordenado, mas, ao menos sabemos onde está cada coisa”, respondeu.

Hague ainda detalhou um pouco dos diferentes experimentos científicos que são realizados na estação, inclusive um em que a ausência de gravidade permite o estudo do que ocorre dentro de uma chama, que ajudará a fazer motores de combustão mais limpa.

Ele explicou, ao ser perguntado por Pitt se a conversa acontecia de dia ou à noite, que os astronautas usam diferentes métodos para conduzir as faixas de horário, usando luzes distintas para cada momento, mas que usam sempre o horário GMT como referência.

“Temos uma jornada de trabalho de 13 horas diárias, e um turno noturno que compreende uma equipe enorme em terra, que gere o que ocorre na estação. Isso requer uma orquestração assombrosa de um programa internacional”, relatou.

Em “Ad Astra”, dirigido por James Gray, Pitt interpreta o astronauta Roy McBride, que embarca através do Sistema Solar, para descobrir a verdade sobre o pai, que se perdeu no espaço em uma missão, que 30 anos mais tarde, ameaça o universo.

“Imagino que, estando lá, há uma percepção do quanto somos insignificantes somos, no grande esquema do universo”, afirmou o ator sobre as experiências espaciais.

*Com EFE