Brasil, Rússia e Venezuela são inimigos dos mutantes em nova HQ dos X-Men

Na história de ‘House of X’, o Brasil foi contra a criação de um país para mutantes por motivos políticos

  • Por Jovem Pan
  • 20/09/2019 17h57
DivulgaçãoA série 'House of X', dos X-Men, está sendo publicada nos Estados Unidos

O Brasil se juntou a países como Rússia e Venezuela contra os mutantes na história da nova série em quadrinhos dos X-Men, “House of X”.

Na trama, os mutantes resolvem se unir para tentar salvar a espécie e querem fundar a própria nação, Krakoa. Para que o país seja reconhecido pelo resto do mundo, o professor X ofereceu o fornecimento de remédios feitos a partir de uma planta da ilha onde a nação foi fundada que curaria várias doenças. O Brasil, no entanto, não aceitou as condições.

A lista de países que não quiseram fechar acordo com os mutantes inclui nações reais e fictícias. Ao todo, são 14. Brasil, Madripoor, Latveria, Rússia, Venezuela e Honduras recusaram a proposta por razões políticas. Irã, Coréia do Norte, Santo Marco e Terra Verde rejeitaram por motivos ideológicos, enquanto Wakanda disse que não precisava dos medicamentos e foi seguida por Azania, Canaã e Quênia.

Com isso, o Brasil se tornou um adversário de Krakoa e, portanto, inimigo dos mutantes. “Mais de cem nações aceitaram o acordo comercial com Krakoa. E, enquanto as negociações continuam com o resto das nações do mundo, algumas rejeitaram a abertura de Krakoa. As nações que rejeitaram o tratado comercial são consideradas adversárias naturais”, diz a HQ. Ainda não se sabe quais serão os desdobramentos disso para a história.

A série “House of X”, escrita por Jonathan Hickman, está sendo publicada nos Estados Unidos. O 4º volume, que traz a situação com o Brasil, chegou às lojas americanas nesta semana.