Dilma critica “O Mecanismo” e diz que Padilha “propaga fake news” na série

  • Por Jovem Pan
  • 25/03/2018 18h37
Divulgação/NetflixNa produção, astro vive um dos investigadores

Na última sexta-feira (23), estreou no catálogo da Netflix o seriado brasileiro O Mecanismo. Dirigido por José Padilha, ele narra acontecimentos fictícios inspirados “no maior caso de corrupção do Brasil”. Embora o nome não seja citado, trata-se de uma alusão à Operação Lava Jato. Quem assistiu e não gostou foi a ex-presidente Dilma Rousseff, que soltou uma nota oficial neste domingo (25) com duras críticas ao diretor e à plataforma de streaming.

“A propósito de contar a história da Lava-Jato, numa série ‘baseada em fatos reais’, o cineasta José Padilha incorre na distorção da realidade e na propagação de mentiras de toda sorte para atacar a mim e ao presidente Lula. A série é mentirosa e dissimulada. O diretor inventa fatos. Não reproduz ‘fake news’. Ele próprio tornou-se um criador de notícias falsas. Sobre mim, o diretor de cinema usa as mesmas tintas de parte da imprensa brasileira para praticar assassinato de reputações, vertendo mentiras na série de TV, algumas que nem mesmo parte da grande mídia nacional teve coragem de insinuar”, diz.

“Na série de TV, o cineasta ainda tem o desplante de usar as célebres palavras do senador Romero Jucá (PMDB-RR) sobre ‘estancar a sangria’, na época do impeachment fraudulento, num esforço para evitar que as investigações chegassem até aos golpistas. Juca confessava ali o desejo de ‘um grande acordo nacional’. O estarrecedor é que o cineasta atribui tais declarações ao personagem que encarna o presidente Lula”, afirma a ex-presidente em seguida.

“O cineasta não usa a liberdade artística para recriar um episódio da história nacional. Ele mente, distorce e falseia. Isso é mais do que desonestidade intelectual. É próprio de um pusilânime a serviço de uma versão que teme a verdade”, completa.

Confira aqui a íntegra da nota de Dilma sobre O Mecanismo: