Dois filmes brasileiros vencem prêmio de temática LGBT no Festival de Berlim

  • Por Jovem Pan
  • 24/02/2018 11h39
DivulgaçãoLinn da Quebrada em "Bixa Travesty"

O Brasil foi muito bem representado na edição deste ano do Teddy Award, chamado popularmente de Urso de Ouro LGBT, prêmio entregue por um júri independente aos melhores filmes com temática gay e trans no renomado Festival de Berlim. Tinta Bruta foi coroado como melhor filme na ficção; já Bixa Travesty venceu como melhor documentário.

Dirigido por Filipe Matzembacher e Márcio Reolon, Tinta Bruta, longa-metragem do Rio Grande do Sul, narra a história de Pedro (Shico Menegat), jovem que responde a um processo criminal ao mesmo tempo em que precisa lidar com a mudança da irmã. De acordo com a sinopse, como forma de catarse, ele assume o codinome GarotoNeon e passa a se apresentar anonimamente na internet dançando nu na escuridão do seu quarto, coberto apenas por uma tinta fluorescente.

Já o paulista Bixa Travesty, de Kiko Goifman e Claudia Priscilla, documenta a transformação e o processo criativo da cantora e ativista Linn da Quebrada.